Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

20 agosto 2007

Pedir ou determinar

"Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á." Mt 7.7

"E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei." Jo 14.13-14

Kenneth Hagin, no livro Em Nome de Jesus, diz:

"A palavra 'pedir' também significa 'exigir'."

RR Soares, em seu Curso Fé, diz:

"Segundo os entendidos na língua grega esta palavra pedirdes está mal traduzida. A palavra pedirdes no grego é o verbo "Aiteó", então ela teria sido melhor traduzida como determinardes. Este pedirdes não tem nada ver como mendigar algo. Então, aqui está a primeira lição. Não precisamos pedir a benção e sim determinar, exigir, mandar, ou seja: tomar posse daquilo eu aprendemos pela Palavra que nos pertence."

Interessante que RR Soares não declina os nomes dos entendidos que afirmam que pedir é uma tradução ruim de aiteo. Não sou entendido na língua grega, aliás não entendo quase nada, mas sei que aiteo, aparece 71 vezes no Novo Testamento, e é traduzida como "pedir, suplicar, implorar, desejar". Confira algumas dessas ocorrências:

Dá a quem te pede e não voltes as costas ao que deseja que lhe emprestes. Mt 5:42

Ora, imagine um mendigo determinando que alguém lhe desse uma esmola ou um necessitado ordenando que alguém lhe emprestasse algum dinheiro. Não tem nenhum sentido.

Ou qual dentre vós é o homem que, se porventura o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem? Mt 7:9-11

Nem mesmo o mais desvairados dos psicólogos admitiriam que filhos ordenassem ou determinassem que seu pai lhe desse pão e peixe? Um filho está numa posição de inferioridade e dependência com relação ao seu pai. Ele não determina, pede e tem confiança que seu pai irá lhe suprir a necessidade.

Então, se chegou a ele a mulher de Zebedeu, com seus filhos, e, adorando-o, pediu-lhe um favor. Mt 20:20

Imagine alguém chegando a alguém e determinando que ele lhe faça um favor. Por definição, favor é algo voluntário, que depende unicamente da liberalidade de quem faz e não da autoridade de quem pede. O próprio fato daquela mulher se abaixando e adorando ao Senhor deixa claro que ela não podia ir chegando e determinando que Jesus nomeasse seus filhos primeiros-ministros.

Mas os principais sacerdotes e os anciãos persuadiram o povo a que pedisse Barrabás e fizesse morrer Jesus. Mt 27:20

Pilatos era governador, uma autoridade romana a que o povo judaico estava sujeito. Ele mandava em Jerusalém e não recebia ordens de ninguém. Portanto, o povo não podia determinar que Pilatos soltasse a Barrabás. No máximo, podia insistir no pedido e aguardar a boa vontade do governador.

Este foi ter com Pilatos e lhe pediu o corpo de Jesus. Então, Pilatos mandou que lho fosse entregue. Mt 27:58

Aqui temos um contraste entre pedir e determinar. José de Arimatéia fez um pedido a Pilatos. Não determinou, não ordenou, não mandou. Apenas pediu, com a humildade de quem se dirige a um superior. Já Pilatos, esse sim podia determinar, e determinou. Mas para isso não usou aiteo, usou keleuo, ordenar, comandar.

Era levado um homem, coxo de nascença, o qual punham diariamente à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. At 3:2

Imaginem um aleijado ordenando, determinando que os passantes lhe dessem esmola. "Eu determino que me dê um dracma!". Seria considerado insolente e não receberia nada, a não ser algumas palavras ásperas de reprensão. Mas se humildemente reconhecesse sua posição, então poderia receber a devida esmola ou, no caso do mendigo da passagem, algo mais valioso que prata e outro.

Este achou graça diante de Deus e lhe suplicou a faculdade de prover morada para o Deus de Jacó. At 7:46

Coloque determinar em lugar de suplicar e você terá uma construção absurda. No entanto, suplicar nesse versículo é o mesmo aiteo que os "entendidos" do RR Soares acham que está mal traduzido.

E aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável. 1Jo 3:22

A razão para que recebemos o que pedimos é que Ele se agrada de nossas obras e da nossa guarda de seus mandamentos. Ora quem manda é o que estabelece mandamentos e não quem pede. Logo, na oração nós pedimos e não determinamos. Quem manda é Deus e Ele nos dá o que pedimos se o que fazemos lhe é agradável. Fica claro quem manda nesse versículo, e não somos nós.

E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. 1Jo 5:14

Ora, novamente a certeza da resposta à oração não está em determinarmos a bênção, mas em nos conformarmos em nossos pedidos à vontade de Deus.

Fica claro nas passagens acima e em todas as outras em que aiteo ocorre que determinar ou ordenar não é uma tradução possível. Portanto, pedir é pedir e determinar nada tem a ver com essa palavra.

Outras palavras utilizadas para pedir

Já vimos que aiteo não pode ser corretamente traduzido como determinar. Seria um desvio muito grande do significado do termo e aplicado nas diversas ocorrências do mesmo na Bíblia chegamos a verdadeiros absurdos.

Outra palavra traduzida como pedir na Bíblia é deomai. Essa palavra ocorre 22 vezes no Novo Testamento e significa "pedir, orar, rogar, suplicar". Portanto, não pode ter o sentido de dar ordens a alguém ou de determinar que Deus atenda nossa oração. Erotao é outra palavra traduzida 3 vezes como pedir no Novo Testamento, toda em Lucas. Em 5:3 refere-se a Jesus pedindo a Simão que se afastasse com o barco da praia, em 7:3 fala do Centurião pedindo a Jesus que viesse curar seu servo e em 14:32 fala de um rei que reconhecendo a inferioridade de seu exército manda emissários a outro rei pedindo paz. Com exceção de Lc 5:3, as passagens referem-se a um inferior dirigindo-se a um superior com um pedido, e não com uma ordem.

A diferença básica entre aiteo, deomai e erotao é que aiteo denota um pedido de acordo com a vontade daquele a quem é dirigido o pedido, deomai trata de um pedido de acordo com a necessidade e erotao enfatiza a forma do pedido. Em todos os casos, não se pode afirmar que signifiquem determinar. Thayer afirma ainda que "aiteo significa pedir por algo a ser dado, não feito, dando proeminência a coisa pedida antes que a pessoa, e por isso é raramente usado em exortação. Erotao, por outro lado, é solicitar que uma pessoa faça (raramente que dê) algo; referindo-se mais diretamente à pessoa, é naturalmente usado em exortação, etc."

A palavra determinar

Determinação é uma palavra que ocorre na Bíblia e significa "ordernar, mandar que seja feito, encarregar, comandar, ordenar, incumbir, designar". Quem determina é Deus (Lc 22:22; At 2:23; 7:44; 13:47; 1Co 14:34; 1Tm 6:15; 2Tm 1:9; Hb 4:7; Ap 11:18), Jesus (At 1:4; Jo 2:8) autoridades (At 20:13; 25:17) e Paulo como autoridade apostólica (At 20:3; 20:16; 2Co 1:17; 2Ts 3:12). Em nenhuma das 21 ocorrências da palavra determinar ocorre associada à oração ou como sinônimo de pedir. Portanto, pedir não é determinar e determinar não é pedir.

Orar é pedir e não determinar

O crente é servo e ora ao Seu Senhor. A atitude correta é de reconhecimento da superioridade divina e da completa dependência do crente. Além disso, o crente deve sempre ter em mente que não merece nenhuma bênção do Senhor e não tem nenhum direito a reivindicar. Tudo que recebe, é por pura graça e misericórdia de Deus. Logo, seria no mínimo insolência aproximar-se de Deus para dar ordens ou determinar a bênção. Deve sim, pedir confiando que Deus, em Sua infinita bondade, irá atende-lo, não porque tenha ordenado ou tenha direito, mas porque o faz com fé em Cristo e confiado em Seus méritos na cruz.

Soli Deo Gloria
Novembro de 2005

3 comentários:

CLODOALDO SILVA disse...

Queridos, acredito que não compreendeu interamente o comentário do RR Soares, deverá ler melhor o livro. Nós estamos sempre na dependencia de Deus, mas o que o livro do RR quiz dizer que as bençãos já foram alcançadas para nós, é algo que já temos, já esta a nossa disposição e não devemos pedir e sim tomar posse da benção, por isso diz-se "determinar", o próprio Jesus disse : "Em meu Nome EXPULSARÃO demónios .., quem expulsa os demónios ? não é JESUS, mas sim somos nós que expulsamos no NOME DE JESUS. Quem orar pedindo para Jesus expulsar demónios, esta fazendo uma oração contraria a palavra de DEUS. E é isso que o RR explica em seu livro. JESUS nunca ficará em secundário , mais sim em primeiro lugar. Precisamos adquirir, determinar aquilo que Jesus já fez por nós na cruz do calvário.

Caio disse...

muito interessante a matéria, escrevi alg semelhante em meu site, trazendo algumas coisas do grego,segue o endereço:

http://www.aprendendocomsenhor.br-web.com/index_arquivos/determinar.htm

Anonymous disse...

Que pena amigo irmão, realmente vc não entendeu nada do que esta escrito no livro, realmente essa palavra vem Grego assim como outras...o que o Missionário RR Soares quis dizer é devemos tomar posse da benção. Agora já que parece que vc acha totalmente sem sentido! Aqui vai um desafio para você...a palavra "arrepender também do grego tem outro sentido...o que me diz quando Deus se arrependeu lá no livro de jonas. Uai mas palavra de Deus fala que Deus não e homen que minta e em filho do homem para que se arrependa...?????? Podemos ver agora que a biblia o original é bem diferente.Graça e paz.

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.