Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

10 julho 2008

Jacó Armínio e o livre-arbítrio

“Esta é minha opinião acerca do livre-arbítrio do homem: em sua condição primitiva, como ele saiu das mãos do seu Criador, o homem foi dotado de tal porção de conhecimento, santidade e poder que o capacitava a entender, apreciar, considerar, desejar e realizar boas obras, de acordo com o mandamento que lhe foi dado. Contudo, nenhum desses atos poderia ele fazer, exceto pela assistência da graça divina. Mas em sua queda e estado pecaminoso, o homem não é capaz, de e por si mesmo, pensar, querer ou fazer o que é realmente bom; mas é necessário que seja regenerado e renovado em seu intelecto, afeições ou vontade e em todo o seu poder, por Deus em Cristo através do Espírito Santo, para ser capaz de compreender corretamente, apreciar, considerar, desejar e realizar o que quer que seja verdadeiramente bom. Quando ele é feito um participante dessa regeneração ou renovação, eu considero que, desde que ele é liberado do pecado, ele é capaz de pensar, desejar e fazer o que é bom, mas mesmo assim, não sem a contínua ajuda da Divina Graça.” (Declaração de Sentimentos de Armínius)

0 comentários:

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.