Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

15 julho 2008

O livre-arbítrio é bíblico?


Num dos grupos que participo, alguém postou parte de um artigo do Pr. Ciro Sanches Zibordi em defesa do livre-arbítrio. O que segue é meu comentário, postado no grupo e reproduzido aqui para apreciação.

- \o/ -

Não gosto de responder a argumentos de quem não está no grupo, pois não se dá a oportunidade da pessoa contra-argumentar ou até mesmo esclarecer algum ponto mal entendido de suas palavras. Mesmo assim, vou comentar o seu post e publicar em meu blog, indicando ao autor caso queira se manifestar a respeito.


Não conheço o autor do artigo e escrevo sem atacar a sua pessoa, pois se o fizesse estaria pecando por falar mal de quem sequer conheço e suponho seja um homem de Deus, levantado para apascentar um rebanho do Senhor.

Portanto, no que segue nada há de pessoal.
Sendo assim, começo dizendo que o autor foi infeliz, ao começar o artigo dizendo que "certos irmãos predestinalistas tem zombado de quem crê na doutrina do livre-arbítrio", que "o que eles mais gostam de fazer é ridicularizar os seus irmãos" e que eles "chegam ao ponto de crer mais em Calvino que no Senhor Jesus". Generalizações são sempre ruins, pois há excesso e desrespeito de ambos os lados, mas não representam os santos que tem discordado amorosamente, buscando na Palavra de Deus uma compreensão mais clara sobre este importante e controvertido assunto.

O autor declara "você não entende o livre-arbítrio? Mas ele é bíblico!" e afirma mais adiante que "o livre-arbítrio é uma verdade bíblicocêntrica e cristalina". São afirmações fortes, e grandes declarações requerem provas robustas. Mas antes mesmo de considerar as provas apresentadas, convém deixar claro que o livre-arbítrio não é e nunca foi uma verdade central na escritura. Cristo é o centro da Bíblia, e se fôssemos comparar, a doutrina da soberania divina é sim presente na Bíblia, de Gênesis a Apocalipse. O termo livre-arbítrio, um sinônimo ou mesmo a idéia de livre-arbítrio jamais ocorre na Bíblia.


Nem tudo o que o autor diz em seu texto contraria o que eu creio. Além dos conselhos dados no final da mensagem, concordo plenamente quando ele diz que "foi Deus quem dotou o ser humano da livre-vontade (Gn 3)". Aliás todos os calvinistas que eu conheço ou tive oportunidade de ler crêem que o homem foi dotado de livre-arbítrio na criação.


As divergências começam quando, o autor afirma "mesmo depois da Queda, e os efeitos deletérios advindos dela, o ser humano continuou com esse atributo (Dt 30.19; Is 1.18,19)".
Antes de analisar esta declaração, convém definir o que é livre-arbítrio e o que não é.

Livre-arbítrio é a capacidade de todo pecador de escolher igualmente entre a salvação e a perdição, entre crer e descrer de Cristo. Não creio que o homem tenha essa capacidade. Mas livre-arbítrio não é, como confundem alguns, vontade, liberdade ou escolha. Não negamos que o homem tenha vontade, apenas que essa vontade seja naturalmente boa e livre. Não negamos que o homem seja livre, no sentido de que toma decisões livremente, de acordo com a sua natureza; apenas afirmamos que sua natureza está corrompida pelo pecado e por isso não decide em favor de Deus. E, finalmente, não negamos que o homem faça escolhas, mas discordamos que tenha poder de fazer boas escolhas espirituais. Em adição, afirmamos que essa incapacidade absoluta do homem é suplantada pela graça invencível do Senhor.


Tendo isso em mente, consideremos as passagens bíblicas colocadas como prova da biblicidade do livre-arbítrio. Mesmo sabendo que isso alonga o texto, prefiro transcrever os textos bíblicos, pois nem sempre o leitor tem uma Bíblia em mãos e pode se esquecer de confirmar as passagens depois.
Uma das passagens referenciadas pelo autor diz "os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência" Dt 30:19.

A passagem acima não ensina que o homem tem capacidade de fazer uma boa escolha espiritual, apenas que uma escolha foi posta diante dele. E o que eles escolheram? A história comprova que eles, escolhendo livremente de acordo com sua natureza caída optaram pela morte e maldição. Deus, que não precisa do testemunho da história, já sabia disso, pois disse a Moisés poucos versículos adiante: "eis que estás para dormir com teus pais; e este povo se levantará, e se prostituirá, indo após deuses estranhos na terra para cujo meio vai, e me deixará, e anulará a aliança que fiz com ele" (Dt 31:16). Deus não botava muita confiança no livre-arbítrio daquele povo. Moisés também não, pois acrescentou, dirigindo-se ao povo "porque conheço a tua rebeldia e a tua dura cerviz. Pois, se, vivendo eu, ainda hoje, convosco, sois rebeldes contra o Senhor, quanto mais depois da minha morte?" (Dt 31:27). O resto é história.


Diante de uma escolha, sem nenhuma coerção externa, decidindo de acordo com sua natureza, o povo escolheu pecar. Isto prova um livre-arbítrio capaz de escolher o bem? De jeito nenhum, se prova algo, prova exatamente o contrário.


O outro texto mencionado é "vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra" (Is 1:18-19). Em primeiro lugar, notemos que o versículo fala apenas que aquele que for, quiser e ouvir terá perdão de pecados e comerá do bem da terra. Nada diz sobre uma capacidade inata de ir, querer e ouvir. Outras partes da Bíblia mostram que o pecador não tem essa capacidade em si mesmo.

Mas o mesmo capítulo faz uma descrição do pecador que longe de retratá-lo com capacidade plena de escolher entre uma opção e outra, o mostra como incapacitado pela enfermidade do pecado. Nas palavras do Senhor "toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo. Desde a planta do pé até à cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo" (Is 1:5-6). Se alguém disser que essa condição dele é apenas física e que espiritualmente ele está capacitado a fazer boas escolhas, então o Senhor diz, no mesmo capítulo, "o boi conhece o seu possuidor, e o jumento, o dono da sua manjedoura; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende" (Is 1:3). Se o homem nessa condição tem livre-arbítrio, muito mais o tem bois e jumentos, pois estes conhecem o seu dono, já o pecador não tem conhecimento nem entendimento que o capacite a fazer uma escolha pelo Senhor.

Porém, descuido muito maior o autor do texto teve ao afirmar: "e a condição hoje para a salvação em Cristo é — mediante o livre-arbítrio — arrepender-se e crer no evangelho (Jo 3.16,36; Mc 16.16; At 3.19; Rm 10.9,10; Ap 22.17)". Com essa afirmação, o autor atribui ao livre-arbítrio a capacidade de crer e se arrepender. Mas uma análise das passagens bíblicas referenciadas mostra que essas passagens não provam o que se pretende provar.


No capítulo 3 de João, Jesus diz que "Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3:36) e que "quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus" (Jo 3:36). Nada nessas passagens sequer sugere que o que leva a pessoa à fé é o livre-arbítrio. Tampouco quando diz "quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado" (Mc 16:16) ou ordena "arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados" (At 3:19) o livre-arbítrio é insinuado. De igual modo, a promessa "se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação" (Rm 10:9-10) não requer o livre-arbítrio, tão somente destaca a fé e a confissão como requisitos da salvação. E, finalmente, quando "o Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida" (Ap 22:17) não fala nem sugere que é pelo poder do livre-arbítrio que alguém recebe a água da vida.

Em resumo, em nenhuma dessas passagens é dito que o arrependimento e a fé nascem ou ocorrem mediante o livre-arbítrio. Afirmar isso é impor um sentido que não era a intenção do autor, ou seja, é fazer eis-egese e não ex-egese.

Por outro lado, a Escritura deixa bem claro que tanto o arrependimento como a fé são dons de Deus e não produtos do livre-arbítrio. Inúmeras passagens provam isso. Paulo escreve aos crentes de Éfeso que nós cremos "segundo a eficácia da força do Seu poder" (Ef 1:19) e por isso pode afirmar "pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus" (Ef 2:8). Também aos filipenses ele escreveu "vos foi concedida a graça... de crerdes nEle" (Fp 1:29). Paulo não está inventando moda, pois Jesus já havia dito que "ninguém poderá vir a mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido" (Jo 6:65), derrubando assim a presunção de que é mediante o livre-arbítrio que alguém vai a Cristo.

Semelhante coisa pode ser dita do arrependimento, que não é obra de um livre-arbítrio bem utilizado, mas uma graça concedida pelo Senhor. Lucas registrou na segunda parte de seu livro que "também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida" (At 11:18). Paulo repreende aqueles que desprezam "a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?" (Rm 2:4). Certamente ele diria algo parecido aos que atribuem ao livre-arbítrio o arrepender-se quando "a tristeza segundo Deus" é que "produz arrependimento para a salvação" (2Co 7:10), ficando na "expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade" (2Tm 2:25).

Em conclusão, podemos ainda invocar o testemunho de Tiago de que "toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes" (Tg 1:17) e não da natureza caída do homem.

Para finalizar, o autor disse "portanto, caro irmão, seja humilde para reconhecer o seu equívoco interpretativo", o que não deixa de ser um excelente conselho. Faço votos de que ele reveja a sua posição e se concluir que equivocou-se na interpretação, tenha humildade para seguir o bom conselho que deu.

Soli Deo Gloria

83 comentários:

Anonymous disse...

Prezado Calvinista,

Estou sempre por aqui lendo estes post's, parabéns!

Quero tentar apenas contribuir. Quando você diz:Livre-arbítrio é a capacidade de todo pecador de escolher igualmente entre a salvação e a perdição, entre crer e descrer de Cristo.

- Talvez não fosse melhor dizer: Foi a capacidade de Adão e Eva, irem contra sua natureza!

FOI - pois jamais haverá livre-arbítrio novamente.

Adão e Eva - pois foram os únicos que tiveram livre-arbítrio, quando você chama de pecador, já se refere aos que cairam e não têm mais o livre-arbítrio.

Ir contra a natureza - pois Cristo é solução aos sem livre-arbítrio.

Cordialmente,
Carlos Henrique.

Clóvis disse...

Carlos Henrique,

Obrigado por sau contribuição.

Quando eu dei a definição de livre-arbítrio como sendo "a capacidade de todo pecador de escolher igualmente entre a salvação e a perdição, entre crer e descrer de Cristo" estava definindo como os arminianos entendem o livre-arbítrio. Tanto que em seguida eu digo "Não creio que o homem tenha essa capacidade".

De fato, se podemos dizer que alguém teve livre-arbítrio na terra, esse alguém foram Adão e Eva antes da Queda. Depois, a vontade do homem ficou escravizada e sua natureza corrompida e ele é livre apenas para pecar.

Você também está certo ao afirmar que ninguém mais terá livre-arbítrio novamente. O salvo tem o que poderíamos chamar de livre-arbítrio mitigado, e na glória não teremos livre-arbítrio.

(-V-) disse...

Querido Clóvis,

Ótima resposta. Eu mesmo, que leio o blog do Ciro, comentei algo, baseando na depravação total mostrada em Romanos. A qual ele respondeu, mas para não gerar uma sala de debate, não contra-argumentei.

Contra-argumentação a qual você apresentou aqui de forma satisfatória e bíblica.


No Amor e na Verdade que nos une,
Vini
(-V-)

Clóvis disse...

No texto acima, disse que indicaria ao autor a minha análise de sua argumentação, para que ele esclarecesse mal entendidos de minha parte e contra-argumentasse, se achasse conveniente.

No mesmo dia da postagem deste texto, postei um comentário no artigo original, no blog do autor.

O comentário, até a presente data, não foi aprovado para publicação. É um direito do proprietário do blog decidir o que publica e o que deixa de publicar, mas achei por bem registrar aqui que comuniquei o mesmo sobre a minha resposta ao seu ponto de vista.

Junior disse...

Bela argumentação!!

Embora não seja calvinista, admiro muito a postura reformada. Esse post poderia ser colocado em forma de comentário no Blog do Pr. Ciro.

Excelente Blog. Quando puder, dê uma passadinha em nosso humilde Blog e deixe sua contribuição.

Fraternalmente
Junior

Ednaldo disse...

Graça e Paz Clóvis.

Também postei comentários no blog do Ciro Zibordi, não sei se ele os publicará, mas ele está levantando uma tranqueira contra nós calvinistas, ou "predestinistas seguidores de Calvino" como ele diz. Pedi que se fosse possível ele desse uma interpretação "atenta e sem preconceitos' de Romanos 9, vamos ver no que dá.

Abraços,

Ednaldo.

http://divinitatisdoctor.blogspot.com

Clóvis disse...

Junior

Eu não coloquei o post como comentário no excelente blog do Pr. Ciro, mas postei um comentário onde indicava meu post. Infelizmente, até o momento o meu comentário não foi publicado.

Obrigado pelo elogio ao Cinco Solas. Quanto ao seu blo, não apenas o visitei como o incluirei na relação de blogs amigos.

Em Cristo,

Clóvis disse...

Ednaldo,

Se o Pr. Ciro não publicar, estará exercendo o seu "livre-arbítrio" concedido pelo Blogger a todos os blogueiros sem excessão, rsrsrs

Falando sério, respeito a posição dele, de não transformar o blog numa sala de debates. Porém, acho que quem perde são os visitantes que não podem considerar uma segunda opinião.

Quanto a Rm 9, também aguardarei uma exegese, embora não muito otimista.

Em Cristo,

tubalcain disse...

SHALON ALEICHEM! "LIVRE ARBITRIO", é filosofia, teologia, sociologia, antropologia . . . .COM JESUS, NEC PLUS ULTRA - João Hebreu. Na minha mina de ouro, parecida com a do rei Salomão, não tem livre arbitrio, não tem predestinação, assim é melhor não envolver-se com JESUS & SALVAÇÃO. Inventar ou criar argumento é mania sexual de homens, pastores, pregadores, ESQUIZOFRÊNICOS. quem foi que disse que Jesus, esta precisando desse condicionamento? Se assim for seja a verdade escravadora e não "libertadora", arependimento condicional, perdão em gotas. O SENHOR NÃO É LIVRE ARBITRIO. OS APÓSTOLOS, tiveram escolha? os argumentos aprensentados são de loucos aparentes que sofrem do domínio cérebral patológico, não devem se envolver com JESUS, são incuráveis. são?. aleluia! SHALON ADONAI.

Clóvis disse...

João Ribeiro,

Shalom!

Se eu tivesse entendido o que você quis dizer, tentaria comentar. Juro!

De qualquer forma, obrigado pela sua visita e seu comentário.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

Caro amigo, parabéns pelo claro esclarecimento de textos tão ricos da Sagradas Escrituras.

O nosso Grande Deus seja sempre exaltado por tudo, e creio firmemente que Ele é Senhor sobre toda a terra.

Em Cristo,
Celso

Clóvis disse...

Celso,

Obrigado pela sua visita e pelas suas palavras. Espero vê-lo outras vezes por aqui.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

Já havia visto alguns textos do Ciro defendendo o livre-arbítrio, sinceramente não entendo como alguem que muda totalmente o sentido da palavra de Deus para dar apoio as suas idéias seja considerado um grande Pastor e Autor.

Respeito as obras dele e algumas tem de ser lidas e aproveitadas para a vida cristã, mas sempre que ele fala de predestinação ou livre-arbítrio comete erros infantís, as vezes por não saber(acho eu)o que realmente é predestinação e calvinismo, mas na maioria das vezes ele passa versículos da palavra que, teóricamente, deveriam sustentar o que ele diz, entretanto, é justamente o contrário. Todas as referências que ele passa nos mostra que o que ele diz não está em acordo com a Santa Palavra de Deus e mais grave ainda, que ele muda o sentido do contexto. Não estou falando especificamente sobre esse texto, mas já vi outros em que ele faz a mesma coisa. E infelizmente muitos que deixaram de ser crentes bereanos acreditam que ele está dizendo a verdade. Passei 11 anos acreditando no livre-arbítrio até o dia em que o Senhor me fez estudar e aprender só dEle, foi ai que percebí o quanto tinha sido enganado.

"e a condição hoje para a salvação em Cristo é — mediante o livre-arbítrio — arrepender-se e crer no evangelho"
Não sabia que a condição para ser Salvo tinha deixado de ser a fé, acho que ele não quis dizer isso porque todos sabemos de quem provém nossa fé.

Concordo que devamos respeitar a opinião de todos, mas me dá nojo quando vejo alguem mudar a Palavra do meu Deus para sustentar doutrinas humanas. Minha indignação é tanta que não dá pra descrever com palavras. Só nos resta orar para que Deus tenha misericórdia.

Parabéns pela postagem amado, Glória a Deus por sua vida.

Nélio.

Obs.: Não sou Calvinista, nem Arminiano, apenas sirvo a Cristo em verdade.

Clóvis disse...

Nélio,

Obrigado pela sua postagem e suas palavras.

Respeito muito o pastor Ciro, ele tem assumido uma atitudes corajosas no meio pentecostal. Infelizmente, na questão do livre-arbítrio ele se perde em suas argumentações. Além de filtrar em seu blog comentários que o contrariem em seus argumentos.

Eu postei alguma coisa aqui porque ele vetou alguns comentários que fiz às suas postagens.

Em Cristo,

Clóvis

wrielly disse...

em tudo isso fiquemos com a palavra.O que passar disso é de procedencia malígna.Ai daquele que mudar ou acrescentar algo a palavra de Deus.Amém irmãos!

Anonymous disse...

Querido Irmão, gostaria de saber se é correto dizer que Cristo fez uma Obra na minha morte.

Ou seja estava morto e Cristo me deu vida.

O novo nascimento implica na mudança da persdonalidade, ou minha personalidade fica a mesma o que muda é carater.

Clóvis disse...

Caro anônimo,

Quando somos regenerado, nossa natureza é mudada, não no sentido de que atingimos a santificação perfeita ou a impecabilidade, mas que a nossa inclinação muda.

Quando estávamos em pecado, pecar era uma regra, fazer o bem uma exceção. Quando somos regenerados, a nossa vontade é fazer a vontade de Deus, embora ainda pequemos contra Ele.

Então, a mudança que o Senhor opera em nos, chamada de santificação, é gradual e progressiva, mas só se completará na glorificação de nossos corpos.

Espero ter respondido.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

Boa tarde clovis? a sua teoria é que uma vez salvo, salvo para sempre? se nao existe livre-arbitrio, entao voce aceito Jesus aforça? sem querer? tu deixas de mentir,adultera,roubar...
ou praticas essas coisas mesmo confessando a Jesus como seu Salvador?

Anonymous disse...

É verdade meu irmao, somos santificado pelo sangue de jesus, ou entao estaria-m0s todos condenado junto com satanas e os demonios, mas o que dizer do que esta escrito: procurai(pode de decidir ) a santificacao sem a qual niguem vera a Deus, ou
o Epirito milita contra a carne para que nao facamos o que queremos! É verdade tambem que quando Deus prometeu a Abraao que se decendente tomaria posse da terra prometida, falou que só a quarta geracao tomaria posse dele, e que o povo de israel ficaria quatrocentos anos escravos,isso antes de exitir israle (Jaco) mais creio que Deus ja sabia o que o povo iria decidir( livre-arbitrio) se pecaria ou nao (obdecendo os seus mandamentos ou nao)pois tambem esta escrito: se hoje ouvirdes a voz do Epirito, nao endurecas o voco coracao,(poder de decidir)en toda a biblia Deus no exorta a decidir: direita ou esquerda! ha o povo do diluvio tinha ou nao o livre-arbitrio de entrar na arca? amulher de Jo, tinha ou na a decisao,de olhar ou nao para traz?

Clóvis disse...

Caro Anonimo I,

"Boa tarde clovis? a sua teoria é que uma vez salvo, salvo para sempre?"

A teoria não é minha. Mas creio sim que quem foi uma vez salvo está salvo para todo o sempre. Pois Aquele que começou a boa obra em nós, a terminará até o dia do Senhor, pois é não apenas o autor (originador), mas o consumador (o completador) da fé.

"se nao existe livre-arbitrio, entao voce aceito Jesus a força? sem querer? tu deixas de mentir,adultera,roubar..."

Não, amado. Descrer do livre-arbítrio não significa que a pessoa entra no céu arrastada pelas orelhas e esperneando ao gritos de "me deixe do lado de fora"!. Assim como crer no livre-arbítrio não significa que a salvação seja puramente humana.

O que eu creio é que o homem caído, em seu estado natural é incapaz de desejar e aceitar a obra de Deus em sua vida. Mas quando Deus o chama eficazmente, o homem passa a desejar o que antes detestava.

"ou praticas essas coisas mesmo confessando a Jesus como seu Salvador?"

As boas obras de obediência do crente foram preparadas por Deus para andarmos nela, conforme o Senhor nos diz em Efésios.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Amado Anônimo II (não sei se são a mesma pessoa),

"... o que dizer do que esta escrito: procurai(pode de decidir ) a santificacao sem a qual niguem vera a Deus, ou o Epirito milita contra a carne para que nao facamos o que queremos!"

Acho que de forma meio confusa você respondeu a própria pergunta. Deus nos manda procurar a santificação, mas podemos nos santificar ou somos santificados pelo Espírito? "Sem mim, nada podeis fazer" também vale para a santificação.

E devemos tomar cuidado para não confundir justificação e santificação...

"...ha o povo do diluvio tinha ou nao o livre-arbitrio de entrar na arca?"

A pergunta é: quem do povo usou seu livre-arbítrio para entrar na arca (além daqueles que o Senhor fez entrar)? Pelo que eu saiba, a arca se encheu de bicho que não tinha livre-arbítrio para escolher e quem supostamente podia escolher morreu com os pulmões cheio dágua.

"... amulher de Jo, tinha ou na a decisao, de olhar ou nao para traz?"

A mulher de Jó eu não sei, mas a de Ló não apenas podia como de fato o fez e virou uma estátua de sal.

O problema é que quando os defensores do livre-arbítrio querem provar que o homem é capaz de fazer o bem dão exemplo dele fazendo o mal... é como querer provar que o Saci sofre de cãibras na perna esquerda porque não as tem na direita, que aliás é sua única perna.

Em Cristo,

Clóvis

Thierry disse...

As nossas vontades terminam quando a de Deus começa. Não é difícil entender isso quando aceitamos que somos escolhidos por Cristo para salvação e para levar o evangelho aos cativos, e de que não passamos de simples "marionetes" na mão do espirito santo de Deus. Isso mesmo "mariontes"! Mas vc me pergunta: Porque marionete? Se vc tem dúvida disto divia se perguntar se realmente está no caminho certo!
"Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum , mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.2 pedro 1.21"
Meu irmão, de tudo eu só sei de uma de coisa. Não vou servir a Deus sendo morno, antes vou me humilhar a Deus e clamar seu perdão.
Paz a todos!

´Wilson C.Ribeiro disse...

O erro fatal q.os arminianos cometem é desconsiderar os efeitos devastadores q.a queda no Éden produziu em toda raça humana,incapacitando o homem de escolher Jesus Cristo sem a intervenção do Espiríto Santo q.convence do pecado,da justiça e do juízo.Parabens por sua teologia absolutamente teocêntrica.

Anonymous disse...

Tenho discutido esses dias com um defensor da pré-destinação absoluta, na qual Deus escolheu uns para a salvação e outros para perdição.
A pré-destinação defendida aqui também é essa?

Fique na paz do Senhor que excede todo entendimento!

Clóvis disse...

Caro anônimo,

Fique à vontade para se identificar e defender suas idéias neste espaço. Ninguém aqui é considerado ou desconsiderado por concordar ou discordar de alguma coisa, e particularmente gosto de me referir ás pessoas pelo nome.

A predestinação aqui defendida é a predestinação bíblica, segundo a qual Deus escolheu um número fixo e definido de pessoas e os destinou a glória, sempre em Jesus Cristo. A Bíblia nunca se refere a uma predestinação para a perdição, mas sempre para a salvação.

Porém, não negamos a implicação lógica da eleição, ou seja, que se alguns são escolhidos, outros são preteridos. Estes são deixados em seus pecados e receberão a justa condenação que suas obras merecem.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

Mas como Deus destinou uns para perdição, se a Bíblia diz que Ele deseja que todos se salvem? (1 Tm 2.4)
O fato de Deus ter dado uma margem - Salvação Vicária - para o homem escolher não reduz a soberania de Deus.
A partir do momento que o homem dá ouvido à voz do Espírito e é libertado pela verdade, seu proceder torna-se diferente. Anulando, assim, seu livre-arbítrio para o serviço do Reino.
Como Paulo disse: "Não sou eu que vivo, mas Cristo vive em mim."

O companheiro com tenho discutido o tema diz que se considera salvo (eleito) porque assim ele sente. E diz que mesmo que vier a se desviar no final da vida vai voltar por ser um escolhido.
Você concorda que quem é escolhido sabe que o é?

Fique na paz!

Luiz

Fique na Paz

Luiz

Clóvis disse...

Luiz, paz seja contigo.

Como eu disse anteriormente, Deus não predestina as pessoas para o inferno. Todos, absolutamente todos, estavam destinados para lá, por causa do pecado. Então dessa totalidade de perdidos, Deus misericordiamente escolhe alguns, para livrá-los de seu destino de condenação. Se não houvesse predestinação para a vida, todos nós seríamos, com justiça, lançados no inferno, pois era o que nossas obras demandavam de um Deus justo e santo.

Sobre 1Tm 2:4, recomendo a leitura do meu artigo "Deus quer salvar a todos", neste blog. Leia também "Deus não faz tentativas".

Quanto ao homem dar ouvidos a Deus e mudar seu viver, o testemunho bíblico é que ninguém pode fazer isso, sem que antes seja renovado em seu interior, o que é uma obra soberana do Espírito. O homem caído não pode iniciar, nem se preparar para, a obra da salvação. A fé e o arrependimento são dons de Deus.

Quanto à certeza da salvação, vale dizer, a confirmação da eleição, ela pode ser obtida pelo crente, se o mesmo se apropriar das promessas do Senhor e confiar em Sua fidelidade.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

No "Deus não faz tentativas" tem uma parte que diz: "Também se diz que o Espírito Santo não invade o coração, mas apenas bate na porta e aguarda que alguém abra." Eu creio no que está escrito: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono. "
Como está escrito a salvação é uma escolha, mas só temos essa escolha graças ao calvário.
Se não fosse assim Deus não precisaria fazer nada do que fez, Ele simplesmente já iria direto com os seus escolhidos direto para o céu, já que Ele que escolheu a companhia deles, não precisaria desse jogo de tabuleiro, onde Deus só mexe as peças, que é a vida.
Deus não é ditador, Ele só quer que esteja ao lado d'Ele pra sempre quem quiser. Devido a nossa natureza pecaminosa não poderíamos nunca ter esse privilégio, mas graças a Sua misericórdia temos essa oportunidade de estar ao lado d'Ele! Aleluia!!!

Quanto a certeza da salvação, seria muito fácil, já que eu estando certo da minha salvação não haveria de me preocupar com minha vida terrena, já que sou escolhido. E a Bíblia ensina-nos a andar vigilantes para não perdermos nossa salvação!

Deus não faz acepção de pessoas.

Que Deus te abençoe!

abraços

Luiz

Clóvis disse...

Luiz,

Paz seja contigo.

Quando você diz se refere ao "eis que estou à porta e bato" faz uso indevido de uma passagem bíblica para apoiar um pressuposto humanista. Primeiro, presume que é a porta do coração, enquanto que a palavra coração sequer aparece no texto e o contexto nega essa interpretação. E, segundo, Jesus está se dirigindo a igreja e não a pecadores inconversos. Logo, a passagem não serve à causa dos que defendem o livre-arbítrio.

Você também diz que havendo eleição, torna-se desnecessário que Deus faça qualquer coisa para alguém ser salvo. Isso revela má compreensão tanto da eleição em si (já que a confunde com salvação) como dos atributos de santidade e justiça divina, por exemplo. Pois mesmo que fosse para salvar um único homem ou para salvar a todos Jesus precisaria morrer vicariamente.

A sua afirmação "Deus não é ditador" é respondida em meu artigo "Seria Deus um ditador?", leia e faça suas considerações. E quanto a "Deus não faz acepção de pessoas" leia "Deus é parcial?".

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

E o que vc me diz acerca do meu último parágrafo?
O que diz sobre a certeza da salvação.

Fique na paz

Luiz

Clóvis disse...

Luiz,

Paz seja com Cristo. Está sendo um prazer dialogar com o amado, em que pese a fala de tempo para uma resposta mais bem fundamentada.

O irmão afirma que "quanto a certeza da salvação, seria muito fácil, já que eu estando certo da minha salvação não haveria de me preocupar com minha vida terrena, já que sou escolhido". Seria sim, se não fosse por um detalhe. O crente regenerado, realmente nascido de novo, recebe uma nova natureza, na qual odeia o pecado e anseia viver em santidade, por amor e para a glória de Deus.

Sendo assim, um verdadeiro crente não acha nada fácil viver despreocupadamente de sua salvação, pelo contrário, irá desenvonver a sua salvação em temor e tremor, sabendo porém que é Deus que opera nele tanto o querer fazer a vontade de Deus como o realizar essa vontade.

Para ilustrar o que eu estou dizendo, neste blog há 35 postagens sobre eleição e 75 sobre vida cristã. Destas recomendo alguns posts para você ver que a doutrina da eleição não incentiva a atitude "vivamos no pecado para que a graça abunde":

- As coisas pequenas
- Orgulho espiritual
- Catecismo de Heidelberg - Domingo 24
- Três dólares de evangelho
- Confissões ministeriais
- Deus e o orgulho"
- (Ad)oração (à moda puritana
- A perfeição cristã
- Confissão e prática calvinista

Leia especialmente este último e a partir dele procure os posts sobre os Puritanos no blog.

Você disse ainda que "a Bíblia ensina-nos a andar vigilantes para não perdermos nossa salvação!". A vida piedosa e o cuidado diário com o crescimento espiritual não contradiz a certeza de que, no final, é a fidelidade divina que nos preserva, para Sua glória.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Luiz,

O irmão perguntou ainda, o seguinte: O que diz sobre a certeza da salvação?

Tive oportunidade e Deus me deu graça de abordar o tema em alguns posts aqui. Sugiro que leia, por exemplo:

- A tese 44 de Morris Venden
- Olhe e viva
- O Deus de toda graça
- Como ter pés bonitos
- E Asafe quase caiu

Em Cristo,

Clóvis

Guilherme Evair Puñol disse...

Homens e mulheres citados no A.T. tambem herdaram de Adão essa natureza pecaminosa,portanto tambem estavam mortos em delitos e pecados...Como puderam viver justa e integralmente?Onde e como foram regenerados por Deus,segundo a narrativa bíblica?

Leonardo disse...

Graça e paz

Interessante argumentação do irmão
usou a biblia de maneira sabia.

Mas o que me Chamou a atenção e também é de deixar toda a igreja em estado de alerta é como a palavra livre arbitrio tem mudado de significado passando para escolha entre o certo e errado, algo comum na vida. e a sua definição foi essa:
"Livre-arbítrio é a capacidade de todo pecador de escolher igualmente entre a salvação e a perdição, entre crer e descrer de Cristo. Não creio que o homem tenha essa capacidade."
Essa definição é exata e trabalhada ao longo do texto
Gostaria de saber se a definição de livre-arbitrio é você é salvo por sua escolha, qual é a definição do tipo de escolha que fazemos no nosso dia dia ? E ja que os significados de determinadas palavras vai mudando conforme o contexto gostaria de saber também se a definição que o irmão deixou ainda é valida nos dias de hoje.

aguardo resposta do Irmão
Deus abençoe
Soli Deo gloria

Clóvis disse...

Leonardo,

É um erro comum é pensar que negar o livre-arbítrio implica negar que o homem faça escolhas morais livres. Na verdade, nossas escolhas são livres, no sentido que não somos compelidos por nenhuma força externa a uma decisão que não queríamos fazer.

Alguns teólogos distinguem livre-arbítrio de livre-agência, negando o primeiro e afirmando a segunda. Livre agência seria então aplicada aquelas decisões da esfera humana, como o que vestir para ir ao trabalho, o que preparar para o almoço, com quem se casar, que profissão escolher, etc.

Creio que a distinção é conceitual e não terminológica. Em tudo, fazemos escolhas morais livres, pelas quais somos responsáveis diante de Deus. Mas agimos de acordo com nossa natureza, e sendo ela aversa a Deus, não somos capazes de escolher o bem espiritual. Por isso não existe tal livre-arbítrio no homem, não que ele não deva escolher o bem, mas no sentido que não pode fazê-lo. Já outras escolhas do quotidiano, nossa natureza tem capacidade de escolher, até mesmo fazer boas escolhas eventualmente, e assim faz.

Em Cristo,

Clóvis

Renê disse...

Clovis

Achei este estudo e achei interessante e gostaria que você comentasse.

Renê

Este estudo foi elaborado por Azenilto Brito

Introdução: Os calvinistas ensinam que a salvação é um “decreto” de Deus. Sendo um decreto, não depende do homem. Deus escolhe quem é salvo ou não. Segundo a doutrina de João Calvino, o homem não tem direito de escolha, quando nasce, já nasce predestinado para a salvação ou destinado à perdição. A doutrina arminiana, no entanto, ensina que predestinados, são aqueles que crêem, que aceitam a Palavra de Deus. Segundo os arminianos, o homem tem o direito de escolha (livre-arbítrio).

A vontade de Deus é que “todos” os homens sejam salvos, porque Cristo morreu por todos os homens.

1 Timóteo 2:3 “Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,
2:4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.
2:5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”

Atos 2:21 “E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”

Romanos 5:18 “Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.”

2 Pedro 3:9 “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.”.

João 3:16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Renê disse...

Mateus 25:41 “Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;”

1 João 2:2 “E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.”

O LIVRE-ARBÍTRIO HUMANO É UM ENSINAMENTO BÍBLICO:

Toda a mensagem da Bíblia ensina que Jesus veio para salvar os pecadores, e dos pecadores se espera o arrependimento como resposta à chamada divina. Veja o que Pedro disse em

Atos 2:38: “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”

A Bíblia ensina que existe possibilidade de salvação para todas as pessoas:
Romanos 8:32 “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” (O filho de Deus foi entregue por todos nós)

Romanos 11:32 “Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia.”

Tito 2:11 “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,”

João 12:32 Jesus disse:
“E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.”

Os calvinistas ensinam que somente os predestinados são “atraídos” para cumprirem o decreto de Deus e serem salvos, mas Jesus disse que na crucificação atrairia não a alguns, mas a todos os seres humanos.

1 João 2:2 “E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.”

Renê disse...

João estava escrevendo para a Igreja do Senhor; mas fez questão de esclarecer: “Ele é a propiciação pelos nossos pecados, mas não é só pelos nossos (da Igreja), mas também pelos pecados do mundo inteiro”.
Se há possibilidade de salvação para todos os seres humanos, fica claro que todos os seres humanos podem vir a crer, desde que tenham vontade. Quem quiser crer, será salvo; porque a graça de Deus se manifestou trazendo salvação a todos os homens. Entretanto, quem não crer, está rejeitando a graça de Deus e perde a salvação. O ensinamento bíblico deixa claro que o homem tem direito de escolher o seu caminho, ou seja, Deus deu ao homem o livre-arbítrio.
Em Gênesis, o primeiro livro da Bíblia (capítulo 3), a possibilidade da tentação é uma demonstração de que o homem tinha o direito de escolher entre a obediência e a transgressão. E em Apocalipse, na última mensagem da Bíblia, mais uma vez a Palavra de Deus não deixa dúvidas: o homem tem o direito de escolher o seu caminho. Veja o que está escrito em

Apocalipse 22:17 : “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.”

Desde o primeiro livro da Bíblia, até o último, Deus dá liberdade de escolha para o homem. Os calvinistas afirmam que Caim era uma semente do mal, destinada de antemão à perdição e por isso matou seu irmão Abel. Mas observe o que Deus disse a Caim antes que ele matasse a seu irmão, ou seja, antes que as suas obras fossem más:

Gênesis 4:6-7
6 E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?
7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. Amados, aqui está claro que Caim tinha o direito de opção; Deus disse a ele: Olha, se procederes assim, serás aceito; se procederes assado, o pecado jaz à porta. Deus ainda foi mais claro; Ele disse: “O seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo”.

Caim poderia ter dominado os seus desejos maus! É pura questão de decisão! Veja bem, depois que ele matou o seu irmão, aí Deus disse (v. 11): “E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mào o

Renê disse...

sangue do teu irmão.”

(antes ele não era maldito; a maldição veio porque Deus deu a ele o direito de decisão e ele, fazendo uso desse direito, acabou agindo mal diante de Deus. Ele escolheu fazer o mal). Você não encontra escrito literalmente na Bíblia a expressão “livre-arbítrio”, mas ele está presente em todo o ensinamento bíblico. São fatos que confirmam essa teoria!
A Bíblia ensina que o homem se afastou de Deus voluntariamente, ou seja, porque quis. Veja o que Paulo escreveu em

Romanos 1:18: “Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.”

Voluntariamente os homens detêm a Palavra, detêm a verdade de Deus, preferindo a injustiça. Isto acontece porque eles têm o livre-arbítrio; o direito dado por Deus de deterem a verdade, ou seja, recusarem a graça de Deus.
Todos têm o direito de se arrepender. Veja

Atos 17:30: “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;”

Arrepender significa ter uma outra mente, ou seja, mudar de mente. Raciocine comigo: se Deus não desse o direito de todos se arrependerem, ou seja, o direito de escolha, por que todos seriam convocados ao arrependimento? Se Deus chama a todos, indistintamente, ao arrependimento, fica óbvio que ele dá o direito de todos se arrependerem!
A isto chamamos LIVRE-ARBÍTRIO. Há uma graça geral, dada na cruz, que confere a todos os homens a capacidade de buscarem a Deus, em fé, se assim quiserem fazê-lo. Deus se apresentou diante de todos os homens na cruz; Ele fez tudo quanto é necessário para que todos os homens possam crer, se assim quiserem fazê-lo. Isto é LIVRE-ARBÍTRIO.

Clóvis disse...

Renê,

Paz seja contigo.

O Prof. Azenilto Brito é um velho conhecido meu. Tivemos algumas discussões no passado, algumas produziram mais calor do que luz. Mas é uma pessoa de quem gosto muito e de quem tenho saudade. Infelizmente, tomamos rumos diferentes na net e acabamos por não conversar mais. Não sei se ele ainda lembra de mim, mas lembro dele com carinho, apesar das diferenças e da teimosia minha e dele.

Quanto ao texto em si, irei lê-lo com calma e ver se sai algum caldo.

Em Cristo,

Clóvis

PS.: Você sabe por onde ele anda e como posso entrar em contato?

Renê disse...

Clóvis

A Paz do Senhor;

Eu não conheço ele, não. Encontrei por acaso na internet. O link com o artigo completo é esse:
http://setimodia.wordpress.com/2008/11/25/a-verdade-sobre-a-predestinacao-parte-i/

Fique com Deus

Renê

Voltaire Theologos disse...

graça e paz!
Amado irmão em Cristo.Fiquei feliz quando encontrei um blog com um propósito de educação na fé, tão próximo do meu.Quero te dizer e ao teus leitores que, não tenho a menor dúvida que o único homem que teve um verdadeiro e integral livre-arbítrio foi Adão.
Temos muito em comum, por isto vou seguir seu blog e analisar seus textos.
Toda glória ao Soberano Deus!

Clóvis disse...

Voltaire,

Que deus seja louvado por te conduzir a este simples blog. Espero que lhe seja útil e se puder contribua com seus comentários, críticas e sugestões.

Soli Deo Gloria

Weslley Pinto disse...

A Paz do Senhor Irmao Clovis,
Achei aresposta do irmao muito boa. Gostaria de acrescentar alguns pontos que li na teologia Sistematica de Vincent Cheung (penso que o irmao ja deve conhecer).

QUOTE

Muita gente faz a observação de que a eleição bíblica contradiz o “livre arbítrio” do homem, e visto insistirem em que o homem tem livre arbítrio, eles conseqüentemente recusam as doutrinas da soberania absoluta e da divina eleição como apresentada neste livro. Contra tal objeção, podemos simplesmente responder que os seres humanos não têm livre arbítrio em absoluto. Ainda que muitos cristãos suponham que
eles o possuam, essa é uma noção pagã que não consegue achar apoio algum na Bíblia.

R. K. McGregor define “livre arbítrio” como segue: “Pelo termo livre arbítrio quero dizer a crença de que a vontade humana tem um poder inerente de escolher com igual facilidade entre alternativas. Isso é comumente chamado ‘o poder de escolha contrária’ ou ‘a liberdade de indiferença...’ Definitivamente, a vontade fica livre de qualquer causação necessária. Em outras palavras, ela é autônoma de determinação
exterior.” Livre arbítrio subentende “a ausência de qualquer poder controlador, até Deus e sua graça, e por conseqüência a igual faculdade em qualquer situação de escolher um curso de ação dentre dois que sejam incompatíveis entre si.”Assumindo uma tal definição, afirmo que o homem não tem livre arbítrio.
Em primeiro lugar, é impossível para seres finitos terem livre arbítrio. Se pensarmos
no exercício da vontade como o movimento da mente rumo a uma certa direção,surge a questão quanto ao que move a mente, e por que ela se move em direção aonde se move. Mesmo se supormos que a mente possa mover-se por si própria, ainda nos fica a questão do porquê dela mover-se à uma dada direção, isto é, porque escolhe uma opinião em vez de uma outra. Se se traça o movimento e a direção da mente a
fatores externos à própria mente — fatores que se inculcam sobre a consciência vindos de fora, e assim influenciando ou determinando a decisão — então como esse movimento da mente é livre? Por outro lado, se se traça a causa às propensões inatas da pessoa, então tal movimento da mente, igualmente, não é livre, visto que tais inclinações embutidas não foram livremente escolhidas (ou seja, sem influências
externas) pela pessoa em primeiro lugar, todavia determinam as decisões que ela toma.
Se as decisões de uma pessoa são determinadas por uma mistura de propensões inatas e influências externas, fica que ela não tem livre arbítrio.

Weslley Pinto disse...

continuando

Se a mente toma decisões baseada em fatores, causas e influências não escolhidas pela
mente mesma, então tais decisões não são livres. Ainda que possamos afirmar que o
homem tenha uma vontade, de modo que a mente possa realmente mover-se para diferentes opções, a faculdade e a razão para tal movimento nunca é determinada pela mente em si própria, mas por alguma outra coisa que não ela mesma. Visto tal ser verdade para todos os seres finitos, segue que somente Deus possui livre arbítrio.

Como Lutero escreve contra o humanista Erasmo:
" É uma verdade estabelecida, então... que fazemos todas as coisas por necessidade, e nenhuma por “livre arbítrio”; pois o poder de “livre arbítrio” é nada... Segue, portanto, que “livre arbítrio” é obviamente um termo aplicável
somente à Majestade Divina; pois apenas Ele pode fazer, e faz (como canta o salmista) “tudo o que deseja, no céu e na terra”. Se é atribuído o “livre arbítrio” aos homens, o é com não mais propriedade do que à divindade
mesma o seria — e nenhuma blasfêmia poderia exceder a isso!" Lutero, The Bondage of the Will; p. 105.

Ninguém sob o domínio do pecado pode simplesmente “decidir” ficar livre dele sem a
intervenção divina, nem a pessoa desejaria ficar liberta dele antes que uma tal intervenção ocorra.
A salvação é totalmente a obra de Deus, de modo que ninguém pode se orgulhar de suas obras ou mesmo de seu “bom senso” no que tem “escolhido”
(João 15.16; Efésios 2.8). Mesmo após alguém haver se tornado cristão, “é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade
dele” (Filipenses 2.13).
R. K. McGregor Wright traça o conceito de livre arbítrio a sistemas filosóficos humanísticos e anticristãos,e nota sua infiltração histórica na igreja. Naturalmente, a obsessão humana com autonomia foi de fato introduzida a Adão e Eva pelo próprio diabo (Gênesis 3.1-7). Algumas traduções inglesas da Bíblia contém o termo “freewill” [“livre arbítrio”] em vários versículos, mas tais exemplos não se relacionam ao nosso tópico, visto somente aludirem a “freewill offerings” [“ofertas espontâneas”] em
oposição àquelas exigidas da lei. “O ponto é uma distinção na Lei, não uma declaração metafísica sobre se a faculdade de escolha é causada ou não”; No Place for Sovereignty: What's Wrong with Freewill Theism; Downers Grove, Illinois: InterVarsity Press, 1996; p. 157. Da mesma forma, escreve Lutero: “Ou seja, o homem deve dar-se conta de que, no que toca a seu dinheiro e posses ele tem um direito a usá-los, para fazer ou deixar de fazer, conforme seu próprio ‘livre arbítrio’ — ainda que o próprio ‘livre arbítrio’ seja dirigido pelo livre-arbítrio de Deus, a seu bel-prazer. Entretanto, com respeito a Deus, e em tudo que se relacione com salvação ou condenação, ele não tem ‘livre arbítrio’algum, mas é um cativo, um prisioneiro e um escravo...” Ele sugere que “a coisa mais cristã e mais segura a fazer” é “deixar esse termo totalmente” quando falando do homem. Lutero, The Bondage of the Will; p. 107.

UNQUOTE

Observacao: Teologia Sistematica de Vincent Cheung pode ser adquirido livremente no site monergismo.com

Fiquem na Paz

Weslley

Clóvis disse...

Weslley,

Seja bem vindo entre os comentadores do Cinco Solas.

De fato, o livre-arbítrio como "escolha contrária" é incompatível com a onisciência divina e como capacidade de escolher o bem é incompatível com o ensino bíblico a respeito da queda.

Em Cristo,

Clóvis

Elizeu Rodrigues disse...

Mano

Li sua refutação muito bem elaborada ao que o pr Ciro defende, bem como todos os comentários dos blogueiros aqui. Eu já fiz muitos comentários no blog dele, que não vejo nas matérias, pois são com argumentos que desfazem talvez a lógica usada por ele. Quando estou de acordo, está lá registrado.

Você está certo quando mostra que ele, e todos que o apóiam, afirmam que o tal "livre-arbítrio é uma verdade bíblicocêntrica e cristalina". Entre outras doutrinas, que dizem ser fundamentais da Fé (aqui é onde gosto de analisar).

Adão precisou de fé para crer em Deus? Não. Mas ele realmente teve uma livre escolha, ou livre-arbítrio.

O cristão regenerado tem livre-arbítrio? Não, pois a renúncia, o estar crucificado com Cristo não abrem exceção para escolhas.

O homem pecador tem livre-arbítrio? Não, pois é servo do pecado, escravo.

Como comentou o irmão Nélio, eu tbm não sou calvinista, mas tento viver da forma como Cristo ensina.

Tenho amigos assim como o pr Ciro, que quando lhes falta argumento, dizem sempre que é porque me falta "fé" para crer em algo real, que são as doutrinas da fé.

Estou seguindo seu blog, que peguei no Orthodoxia.

No amor de Deus

Elizeu

Clóvis disse...

Eliseu,

Seja bem vindo à roda dos comentadores :-)

Em Cristo,

Clóvis

fabricio disse...

a paz queridos irmãos, so queria deixar um comentario aqui , estamos pregando a téologia reformada em vitótia ES , e pela misericordia de DEUS,estamos colhendo frutos . So queria dizer que em vez de ficar argumentando ou levando a biblia para argumentos humanos aqueles que não acreditam deviriam ao menos se preucupar com as almas que são submetidas a ouvirem aquilo que simplismente são coisas humanas,se tudo que foi pregado até hoje como sendo o *evangelho* não deu fruto ... ta mais que na hora de reconhecer que a reforma e necessária ... o verdadeiro evangelho precisa ser pregado por amor as almas....

Anonymous disse...

Fabrício

Precupa não, se o homem não pode ajudá, trapaiá também ele pode não. Deus é Soberano e esta a serviço de alguns escolhidos para aumentar a sua glória. Tá tudo na benção, é só esperar pra sair pro abraço.

Precupado

Anonymous disse...

PODERIA EU ENTENDER QUE ,,,

TERIA Jesus tanta certeza do livre arbítrio que desejou que passasse dEle o cálice ?

TERIA tanta certeza assim que em contra partida pondera quanto ao mais importante A VONTADE DO PAI ,,, ?

Por três vezes desejou duas coisas o LIVRAMENTO e o CALVÁRIO (Mateus 26.39-44)

Noutra ocasião estaria mostrando seu livre arbítrio quando diz (João 18.11) ?

A sua resposta a atitude de Pedro nos dá a entender que havia possibilidade de recusar o cálice tanto quanto seu desejo de sorvê-lo ?

Não tivesse Ele a consciência disso , lançaria esta opção a face de seu PAI ?

Não tivesse Ele tal condição não se proporia a disposição do PAI ?

Por que oraria tal coisa , sabendo que não poderia optar tanto por uma como por outra coisa ?

A decisão de( Mateus 4 1-11 ) passasse por qual crivo ? Esta passagem é uma perda de tempo ,,, ?

Por qual motivo O Espírito conduziria alguém a uma situação de provação se este alguém não tem a matéria prima a ser testada ? (ser seu próprio árbitro)

Assim fosse diria o tentador : - De que me adinta terem trazido esse homem aqui . Ele não tem poder de decisão . Pra que vou tentá-lo se ele não tem a liberdade de escolher ?

Ficamos assim então na questão predestino ,,,

DEUS NOS PREDESTINOU A TER LIVRE ARBÍTRIO (somos dotados de consciência)
E O LIVRE ARBÍTRIO NOS LEVA A SER PREDESTINADOS OU NÃO ,,,


DETALHE : PREDESTINADOS EM CRISTO E NÃO PREDESTINADOS AO CRISTO ,,,


GRATO

EVALDO

Clóvis disse...

Evaldo,

Você conclui:

"DEUS NOS PREDESTINOU A TER LIVRE ARBÍTRIO (somos dotados de consciência) E O LIVRE ARBÍTRIO NOS LEVA A SER PREDESTINADOS OU NÃO"

Você tirou isso da Bíblia? Se sim, de que parte?

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Evaldo,

Uma verdade não precisa estar declarada explícitamente na Bíblia, desde que possa ser extraída naturalmente dela. O termo livre-arbítrio não se encontra na Bíblia, mas se fosse ensinado implicitamente, já bastaria. Mas o fato é que não é assim, o conceito de livre-arbítrio não apenas é ausente nas Escrituras como a incapacidade humana é declarada em inúmeras passagens.

Por outro lado, não podemos impor ao texto um sentido ou idéia que esteja ausente dele. Veja bem, você afirmou que "Deus nos predestinou a ter livre-arbítrio" e que "o livre-arbítrio nos leva a ser predestinado ou não", e para provar isso cita Gn 4:7, que diz:

"Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar."

Não há neste texto a mais leve sugestão de que deus tenha predestinado o homem para ter livre-arbítrio. E menos ainda que o exercício do livre-arbítrio possa torná-lo predestinado, o que aliás seria uma contradição de termos.

O texto fala de dever e não de capacidade.

Em Cristo,

Clóvis

Anonymous disse...

PENSEI QUE VCS DISSESSEM QUE APÓS O PECADO PERDEU-SE O LIVRE ARBÍTRIO . (COMO PERDEU-SE ALGO QUE SE DIZ NÃO TER NA BÍBLIA ? )

O implicitamente não estar não quer dizer que não seja assim ,,,A BÍBLIA TAMBÉM não usa a palavra TRINDADE , mas cremos nela ,,,

***********************************************
vc DIZ : "O texto fala de dever e não de capacidade."

Portanto O HOMEM TEM ESTE DEVER e claro não a capacidade, logo está sobre ele uma NECESSIDADE DE ESCOLHA a seguir aquilo QUE O CAPACITARÀ ,,,

A capacitação óbvio que só pela lavatura do Sangue de Cristo mas como alcançará tal capacitação se não tiver a oportunidade de desejá-la ?

Então voltamos a SÊDE ,,,

COMO DIZ O APÓSTOLO : PREDESTINADOS NELE E NÃO PREDESTINADOS A ELE ,,,

Assim sendo creio que todo ser humano tem sobre si o dever de ansiar ser capacitado a ser lavado no Sangue de Cristo ,,, A escolha é dele se vai querer ou não ser PREDESTINADO EM CRISTO por conta de seu desejo e escolha de busca da CAPACITAÇÃO ,,,

Caro Clóvis ,

Em resposta a pergunta :

EU encontro O LIVRE ARBÍTRIO na bíblia ,,, no entanto não espero que conordem comigo ,,,

Abraço , amigo (LUCAS 10.5)

EVALDO

Anonymous disse...

PENSEI QUE VCS DISSESSEM QUE APÓS O PECADO PERDEU-SE O LIVRE ARBÍTRIO ASSIM ME DISSE UM DE VÓS

COMO PERDEU-SE ALGO QUE SE DIZ NÃO TER NA BÍBLIA ?

TERÁ PERDIDO TAMBÉM O HOMEM A SUA CONSCIÊNCIA RACIONAL ?

CONSCIÊNCIA DE SER RAZOÁVEL E PONDERAR ?

COMO DISSE , NÃO ESPERO A CONCORDÂNCIA AO QUE ENCONTRO NA BÍBLIA ,,,

EM DEUTERONÔMIO 30 ENCONTRO UM VALE DE DECISÃO E EM ESPECÍFICA ( VERSO 19 ) UMA INCITAÇÃO A ESCOLHER O MAIS RAZOÁVEL SE ASSIM POSSO DISCERNIR ,,,


NO MAIS CARO , CLÓVIS

PASSAREMOS AQUI TODA A VIDA DISSERTANDO TAL ASSUNTO ,,, SEM MAIS

É BÍBLICO O LIVRE ARBÍTRIO ,,, (LUCAS 10.5)

Ednaldo disse...

De onde ele tirou essas ",,," (três virgulas)?

Eu gostaria de saber o seguinte, sem a ação EXTERNA de Satanás Eva teria pecado?

Marcos disse...

Ednaldo,
Se pensar desse jeito, você faz como Eva: põe a culpa na serpente (ou em qualquer outra pessoa que nao voce), quando foi ela mesma quem tomou a decisao de transgredir a ordem de Deus. O diabo tentou, sim, mas foi Eva quem decidiu tomar a fruta - ela nao foi obrigada pela serpente!

Ednaldo disse...

Caro Marcos, acho que você não entendeu o cerne da questãom coisa muito como com arminianos.

O que quero saber é o seguinte. Sem a INFLUÊNCIA EXTERNA de satanás EVA teria pecado?

Veja que apesar de não haver um constrangimento da parte de satanás sobre Eva houve uma influência, Satanás colocou em seu coração sentimentos que não existiam antes, como ser igual a Deus por exemplo, também colocou a Palavra de Deus em xeque. Então afirmar que Eva tinha livre-arbítrio não condiz com a definição arminiana do termo, pois para isso Eva deveria ter pecado sem que houvesse qualquer influência interna ou externa. Eva e Adão foram responsabilizados por seus atos? SIM, mas esses atos não foram atos livres, iniciados neles mesmos, houve um empurrãozinho da parte de satanás, pois os mesmos por não terem pecado, não tinha essa tendência, isso foi fruto da influência do encardido.

Marcos disse...

Ednaldo,
apesar de ter soado arminiano, não o sou!
Quanto a essa questão de Eva, acho complicado pensar nessas coisas sem textos bíblicos (desconheço textos referentes ao livre-arbítrio antes da Queda).
Ainda assim, especulando, acredito sim que Eva pecou por sua própria e livre escolha. Satanás mostrou um outro lado do pecado que Eva poderia ainda não ter considerado. Ainda assim, o desejo de pecar começa no coração, após a tentação. A tentação é apenas a forma de nos fazer conhecidos os "prazeres transitórios do pecado". Se julgarmos em nosso coração que esse prazer do pecado é maior que o prazer que temos em Jesus (portanto, pecando), começaremos a desenvolver essa idéia até que ela tome a forma externa de uma ação pecaminosa.
Será que Eva não pecaria se Satanás não tivesse intervido? Será que ele só não acelerou o processo? Sei lá...

Ednaldo disse...

Marcos,

Ok, concordo com você "quanto a essa questão de Eva", pois não existem textos bíblicos que impliquem na existência ou não de um livre-arbitrio anterior a queda, isso é apenas conjectura filosófica.

O que estou querendo mostrar é que devido a influência externa, qualquer escolha livre que Eva pudesse ter foi cancelada.

Isso só leva a questão dos "serás" como você finaliza seu comentário.

Devemos nos apegar ao fato da queda ter trazido terríveis consequencias para humanidade, e que apenas Cristo nos livra dessa consequencias.

Fica na Paz,

Ednaldo.

Anonymous disse...

(Lucas 10.5)

Precisamos informar a Deus que o ser que Ele criou não é dotado de LIVRE DECISÃO

ISAÍAS 1.19-20


Como disse em outra pág. , diante dos demais aqui , sem falsa modéstia , sou um ignorante .Pouca cultura mesmo em relação aos demais .


E neste mundo do sufixo ISMO só me ative a um ISMO que realmente importa o MONOTEÍSMO

Todo esse POLITEÍSMO de homens não é pra minha pouca cultura , prefiro ficar com CRISTO e com a BÍBLIA .


Então se não há LIVRE ARBÍTRIO , NÃO ESQUEÇAMOS DE AVISAR AO CRIADOR SOBRE ISSO ,( ISAÍAS 1.19-20)

E em minhas orações perguntarei qual critério Ele vai usar para lançar alguém no inferno .

Se a vosso dizer a graça salvadora que trás o arrependimento é seletiva e nós gozamos dela e nenhuma restrição ou recusa lhe fizemos por não termos livre decisão por que pois não é concedida a todos para que todos se salvem .Simples não ?

Sem ser capiciosa e nem debochada , apenas uma pergunt daqui de minha ignorância :

A escolha é feita tipo aquela brincadeira de criança DUNE - DUNE - TE ,,, ?

PREDESTINADOS NELE DIZ A PALAVRA DE DEUS

NÃO DIZ PREDESTINADOS A ELE

Agradeço ao Clóvis por sua diplomacia aos comentários e por esta porta aberta por qual TIVE O DESEJO de participar .

PS MAIS UMA VEZ PEÇO , AVISEMOS AO CRIADOR QUE O SER QUE ELE CRIOU NÃO TEM PODER DE DECISÃO ( ISAÍAS 1.19-20)

Anonymous disse...

DESCULPE ESQUECÍ DE POR O NOME NO COMENTÁRIO ACIMA


EVALDO ( LUCAS 10.5)

Anonymous disse...

ISSO NÃO È EVALDISMO NÃO EM ,,,

Deus envia a Cristo para conquistar a justificação pelo seu Sangue .

O Espírito Santo é enviado para CONVENCER o homem , do pecado ,da justiça e do juízo .

Jesus lança a opção Tomai sobre vós o meu jugo ,,,



O CONVENCIMENTO de pecado é por igual para todos .( JOÃO 16.8 )

O CONVERTER-SE passa pelo TOMAR O JUGO DE JESUS ( MATEUS 11.29 ) que é oferecido

A LIBERTAÇÃO vem pelo CONHECER a VERDADE que liberta . (JOÃO 8.31-32) Conhecer além do saber .

SITUAÇÕES

O demônio estava convencido : (MARCOS 5.7)
Como sua natureza é espiritual e o que é espiritual é para sempre seu erro perdura para todo sempre para eles não há mais CONVERSÃO .



O JOVEM RICO (LUCAS 18.18-23) diante da opção de ( MATEUS 11.29 )

CONVENCIDO PELA GRAÇA ali diante dele sobre o que precisava para herdar a vida eterna não tomou sobre si o JUGO de JESUS ,optando por suas riquezas .


MESMO CONVENCIDO (pois não mais inquiriu ou ponderou ao que disse JESUS )

RECUSOU a CONVERSÃO de sua natureza desprezível

perdendo a chance de receber a VERDADE que o LIBERTARIA sem deixar sequelas .


Portanto ,lembrando que :

CONVENCIMENTO (JOÃO 16.8) vem pelo Espírito Santo que está batalhando no mundo


CONVERSÃO passa pelo anseio humano e decisão humana( LUCAS 18.18-23 )(EZEQUIEL 33.11 )


LIBERTAÇÃO vem pelo CONHECER ( mais q saber )A VERDADE ( JOÃO 8.31-32 )

Interessante JOÃO 8.31 - ,,, SE VÓS PERMANECERDES ,,, dá-nos uma idéia de ATITUDE humana caso contrário não necessitava tal afirmação .

OBSERVANDO QUE NÃO DIZ : SE A VÓS FOR FEITO PERMANECER


Resumindo ,
O Espírito Santo CONVENCE do pecado,

O homem toma a atitude de aceitar CONVERTER-SE A CRISTO e ver-se livre de sua desprezível situação .

E pelo PODER QUE HÁ NA VERDADE QUE LIBERTA alcança a REGENERAÇÃO .


PERGUNTO MAIS UMA VEZ :
NÃO TENDO O HOMEM A OPORTUNIDADE DE RECEBER O ENTENDIMENTO DA GRAÇA QUE LIBERTA , POR QUAL CRITÉRIO SERÁ CONDENADO POR AQUELE QUE O PRIVOU DE TAMANHA GRAÇA ?

(LUCAS 10.5) EVALDO

Jean Patrik disse...

Paz do Senhr irmão Clovis!!!

O irmão escreveu: Uma das passagens referenciadas pelo autor diz "os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência" Dt 30:19.

A passagem acima não ensina que o homem tem capacidade de fazer uma boa escolha espiritual, apenas que uma escolha foi posta diante dele. E o que eles escolheram?

Irmão Clóvis como explicar a decisão de Adão, de fato ele tinha o livre-arbítrio, e detalhe, o pecado não o tinha o conrronpido, e mesmo assim ele escolheu o errado. Se pensarmos que homem não tem condições de escolher o bem por calsa do pecado original, de auguma forma estaremos dizendo que que Deus criou Adão conrompido para pecar.

Irmão quem capacita o homem a escolher o bem é simplemente a palavra de Deus e seu Epírito (Jo.16.8 e Rm.10.17).

Cabe o Homem escolher essa capacitação que vem pela palavra e pelo Espírito Santo, amolecendo o seu coração ou continuar com o coração endurecido.
Jesus disse: Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida(Jo 5.24).
Jesus disse que quem houve a palavra dele, e crê tem a vida eterna, Ele NÃO disse que quem crê (capacidade para crê) e ouvi é que tem vida eterna.

É através do evangelho (boas novas) que o homem escolhe se irá receber o sacrificio vicario de Jesus ou não. veja: Rm 1.16 Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.
Rm 1.17 Porque no evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.
Observe bem que primeiro é o evangelho e depois a fé. "A fé para salvação vem através do evangelho pregado" mas é o homem que escolherá receber a palavra para sua salvação ou não "isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos os que crêem; pois não há distinção(Rm.3.22)."

A vontade de Deus sempre foi salvar a humanidade, infelizmente nem todos amolece o coração para que Deus faça uma obra salvivica na vida deles ESCOLHENDO eles rejeitar a palavra de Deus que nos traz salvação através no nosse Senhor e Salvador Jesus.

Fique com Deus!!!

Clóvis disse...

Jean,

Seja bem vindo.

Precismos notar que uma era a condição de Adão antes da Queda, e outra a condição do homem depois que Adão pecou. As confissões reformadas, fazendo coro com a Bíblia, ensinam que o homem foi criado reto, vale dizer, que podia pecar ou não pecar. Se me permite uma afirmação sujeita a revisão, ele vivia em neutralidade moral, mas mesmo assim só podia manter-se puro pela graça de Deus.

Tendo Adão capacidade para pecar ou não pecar, sendo tentado pecou e este ato trouxe consequências trágicas a ele e sua descendência, vale dizer, nós.

Uma dela é a mudança de sua situação, se antes ele podia tanto pecar como não percar, depois de ter pecado ele só tem capacidade para pecar. A Bíblia ensina que somos naturalmente inclinados ao pecado e nossa experiência, pessoal ou de observação, confirma isso. As inclinações do nosso coração são más o tempo todo.

Então, diante de uma escolha, Adão antes da Queda poderia escolher igualmente entre o certo e o errado, a morte e a vida, a bênção e a maldição. Mas o homem pós-Adão, agindo de acordo com sua natureza, sem nenhuma coerção externa, sempre irá escolher o mal.

Não há dúvida que a pregação do evangelho, com a oferta da salvação precede a fé. Mas o homem por si mesmo, não tem capacidade de aceitá-lo, de fazer uma boa escolha espiritual. Somente crêem aqueles que o Espírito Santo renova o entendimento e a vontade. A ação do Espírito Santo não é meramente persuasiva, mas é eficaz, no sentido de que todos aqueles que Ele chama, vem a Cristo.

Que o Senhor o abençõe grandemente em 2010.

Em Cristo,

Clóvis

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor irmão clovis!!!

Parece que a pergunta que te fiz foi meio dificil de responder, com toda siceridade você não conseguiu responder ela, apenas argumentou, com isso uma pessoa que veja a sua resposta irá realmente ver que o calvinismo é um equivoco.

Se responder a altura voutarei para falar mais alguma coisa, por enquanto o meu argumento está mais convicente.

Fique com Deus!!!

Clóvis disse...

Jean,

Penso ter respondido adequadamente. Mas quem perguntou é que deve avaliar a qualidade da resposta, então aceito seu parecer e deixo para que outros concluam se o calvinismo é um equívoco.

Você é bem vindo para fazer outras perguntar e dar o seu parecer. Prometo me esforçar para responder da melhor forma possível. Mais que isso não posso prometer.

Deus te abençoe.

Em Cristo,

Clóvis

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezado Clóvis,

Paz!

Você tem escolhido o seu caminho pelo "livre arbítrio", luta contra o "livre arbítrio" dos que decidem pelo "livre arbítrio".

Ao eliminar o "livre arbítrio", elimina-se a necessidade da morte na cruz. Afinal, através desta morte na cruz, fortalece-se mais o "livre arbítrio".

A escolha principal está na natureza do homem, e na sua luta constante com o espírito. Afinal, para que serve, o sê fiel até a morte?

O Senhor Jesus Cristo morreu por todos, mas nem todos derão ouvidos à sua Palavra. O que existe no momento é uma falácia com base em Calvino, que como homem de Deus, tentou proteger aos que creram em sua armadilha sentimental, quando informa fora do texto, com texto próprio à respeito do Ser Salvo. Salvo para Sempre.

A Salvação não se perde somente após a morte, e morte em Cristo com todas as definições do que siginifica viver para Deus. Não é para qualquer um que admite a especial misericórdia de Deus sem a devida justiça conforme o escrito abaixo:

Apocalipse 22:11: Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda.

Para que esta necessidade de MAIS AINDA?

É pura carnalidade objetivar situações em que o homem se transforma em mero robot, pela eloquência fora da simples Palavra de Deus. Pois, a Palavra de Deus é simples, objetiva e assim, permite que a Salvação seja adquirida pela misericórida, bondade de Deus e principalmente justiça, segundo o "livre arbítrio", que Ele nos concedeu para que sintamos pleno gozo ao entregar a nossa vida através do "livre arbítrio", em suas mãos e cuidar com responsabilidade, segundo a sua orientação com a simples advertência em sermos fiéis, até a morte. Somente até a morte.

O menor de todos.

Clóvis disse...

Pr. Newton Carpintero,

Paz seja contigo e seja muito bem vindo ao Cinco Solas. Já nos cruzamos em alguns blogs e fóruns net afora, mas acho que não tivemos a oportunidade de interagir diretamente.

Confesso que tive dificuldade de acompanhar o fluir de seu comentários. Mas parece que o irmão entende que se o homem não tiver livre-arbítrio, então a morte de Cristo é desnecessária, as exortações à fidelidade ficam sem serventia e o homem é reduzido a mero robô. Outrossim, afirma que o livre-arbítrio é fortalecido pela morte de Cristo e que ele se constitui na base da justiça de Deus na salvação. Suas referências a Calvino não levarei em conta, ele se defende bem através de seus escritos.

O que eu posso dizer de seu arrazoado não tão razoável assim?

As objeções apresentadas não são nem um pouco novas, aliás espanto-me que ainda sejam levantadas, de tão respondidas e bem respondidas que foram. Mas vamos lá.

Antes de mais nada, peço que compreenda a dificuldade que tenho em responder, pois sequer sei o que o irmão chama de livre-arbítrio. Aliás, com todo o respeito, desconfio que nem o irmão sabe direito, então agradeceria se me desse uma definição ou dissesse com suas palavras o que entende por esse termo.

Vou responder supondo que livre-arbítrio seja "capacidade de escolher o bem espiritual da salvação". Se não for esse seu entendimento, reformulo a resposta depois.

Tendo este conceito em mente, em que isto torna a morte de Jesus desnecessária, robotiza o homem e anula as exortações à fidelidade? Não consigo ver a relação, pois independente da capacidade do homem, Jesus precisava morrer, o homem continua fazendo diariamente milhares de escolhas que um robô não faria e ainda estaria sob o dever de manter-se fiel a Deus!

Agora, o que me parece sem sentido algum é afirmar que a morte de Cristo concedeu poder ao livre-arbítrio e sinceramente não atinei o que o livre-arbítrio tem a ver com a justiça de Deus.

Quando o irmão esclarecer melhor o que entende por livre-arbítrio, talvez possamos avançar num melhor entendimento da questão.

Em Cristo,

Clóvis

Paulo Sardinha. disse...

Caro: Newton Carpintero, pr. e servo

"Ao eliminar o "livre arbítrio", elimina-se a necessidade da morte na cruz. Afinal, através desta morte na cruz, fortalece-se mais o "livre arbítrio"."

Como assim?
Você pressupôs que a Cruz fortalece o livre-arbítrio, não afirme, mostre de forma lógica. Mostre de forma correta no contexto a existência do livre-arbítrio, desde que você pressuponha que a soberania divina exista. Pois para você a soberania divina é fato bíblico não é? Afinal quando Deus quer Ele faz não é? Por isso Ele é soberano não é? Ele quer salvar todos mas alguns se perdem? A sua vontade pode ser resistida pela vontade do homem?
PS: sou calvinista, acho que deu para perceber.

Paulo

Tiago disse...

Caro Clóvis, não haverá nenhum comentário sobre o extenso comentário do Renê?

Bom, creio que é o Espírito Santo que nos toca para aceitar a salvação. Mas não posso crer, pela Bíblia, que há um número definido de salvos. A proposta da salvação é para todos. E há farta quantidade de versículos mostrando isso, muitos citados no decorrer dos comentários acima.

O que Jesus quis dizer com "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar."? (João 14:1-2)

Você acha que Ele estava se referindo somente àqueles discípulos?

Ali Jesus está sendo claro para que não nos preocupemos com coisas do tipo "Será que estou entre os escolhidos?" Há lugar para todos quantos crerem. Não há lógica alguma em Jesus morrer para todos, e predefinir um número de salvos. Não há lógica, nem base bíblica.

É óbvio que a Graça é dom de Deus. É Ele quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Daí a dizer que poucos escolhidos já estão predestinados, são outros quinhentos.

SE a doutrina da predestinação estiver errada - e estou bem inclinado a ter certeza disso - será uma das maiores e mais perigosas mentiras do diabo.

Última coisa: você passou a acreditar na predestinação ao ler a Bíblia, somente - a Palavra basta - ou depois de ler Calvino? Desconfio que não haja alguém que acredite na predestinação conforme você fala, sem ter lido Calvino. Quer dizer, pela leitura simples da Bíblia não há como chegar a essa doutrina.

A salvação é ofertada de graça a todos. O Espírito Santo nos toca. Mas o homem decide.

Se uma vez salvo, salvo para sempre, o que falar de Hebreus 6:4-8, que fala do perigo daqueles que "uma vez foram iluminados e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e CAÍRAM, sim, é IMPOSSÍVEL OUTRA VEZ RENOVÁ-LOS PARA ARREPENDIMENTO."?

Outro ponto: é a Graça que nos vivifica para servirmos ao Deus vivo, mas não há limite de salvos. Não turbeis vossos corações, na Casa do Pai tem lugar para tantos quantos crerem e forem batizados. Foi Jesus que falou, não eu, você ou Calvino. Sola Scriptura!

Por fim: para que se creia, conforme Romanos 10:13-17(logo depois do 9 que os calvinistas tanto falam) é preciso ouvir a Palavra:

"Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como porém invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão se não há quem pregue?...a fé vem pela pregação, e a pregação pela palavra de Cristo".

O capítulo 9 de Romanos, aliás, se refere ao fato de que israelitas se perderão, e gentios se salvarão. A soberania de Deus fica clara; Deus, mesmo tendo escolhido Israel para a Antiga Aliança, permitiu a salvação para os gentios, e a perdição para os israelenses que não dessem crédito à pregação do Senhor.

A justiça de Deus é Cristo, e a não compreensão disso é que levará os judeus a perdição.

Que Deus ilumine nossos corações através da Sua Palavra.

Grande Abraço, Tiago
www.broderjames.blogspot.com
@BroderJames no Twitter.

Clóvis disse...

O artigo "Azenilto, a predestinação e o livre-arbítrio" é uma resposta ao comentário do Renê, que aliás é um artigo publicado pelo Prof. Azenilto que por sua vez esclareceu que publicou sem saber quem era o autor.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

O Espírito Santo não apenas "nos toca", Ele nos chama de forma eficaz para a salvação. Por outro lado, concordo com você que há uma oferta universal para a salvação. E esta oferta não é de mentirinha, é sincera e todo aquele que vai a Cristo não é lançado fora. Não é neste ponto que discordamos, e sim sobre quem e porque alguém vai a Cristo.

Concordo com você que não é nem um pouco lógico Jesus morrer por todos os homens sem exceção, tendo o Pai escolhido alguns e o Espírito chamando eficazmente apenas esses escolhidos. Não há lógica nem base bíblica para uma rendenção universal.

Também concordo que se a doutrina da predestinação estiver errada, será uma das maiores mentiras do Diabo. Mas se ela estiver certa, negá-la será uma mentira maior e mais diabólica. Concorda? Agore, leia as passagens em que aparece os termos predestinação, eleitos, escolhidos e seus cognatos na Bíblia e terá uma pista de onde está a verdade. E não perca tempo procurando a palavra livre-arbítrio, ou um sinônimo ou mesmo uma idéia cognata... não vai encontrar.

Leia meu depoimento em "Como me reformei" e saberá como vim a crer nessas doutrinas da graça. Há depoimentos de outros irmãos, neste blog. Só para sua informação, só vim a saber da existência de Calvino tardiamente e até uns 5 ou 6 anos atrás nunca tinha lido nenhum livro dele.

Sobre a preservação dos salvos, há farto material neste blog. Fique à vontade para ler, Clicando Aqui.

Finalmente, reveja sua conclusão sobre Romanos 9. Aliás, reveja o que você sabe sobre calvinismo e como você entende as questões envolvidas.

Em Cristo,

Clóvis

Neto disse...

Tiago,

desculpe me intrometer na sua conversa com o Clóvis, mas lí algo que me chamou a atenção.

Você disse:
"Desconfio que não haja alguém que acredite na predestinação conforme você fala, sem ter lido Calvino. Quer dizer, pela leitura simples da Bíblia não há como chegar a essa doutrina."

Eu cheguei à doutrina da Eleição e Predestinação sozinho, sem NEM SABER que existia Calvino e Calvinismo, e achava que teologia era coisa pra crente frio!!! O ponto que fez toda a diferença, foi porque eu já cria em um Deus que tem TODO o Poder e que controla TUDO. O Deus da Bíblia. E confiava que tudo o que Ela diz é Verdade!

Como não acreditar em Eleição e Predestinação, após ler versículos como esse?
Atos 13:48
"E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos ESTAVAM ORDENADOS para a vida eterna."

Georges Nogueira disse...

Respondendo ao título do post:

É.

Neto disse...

Georges,

Com sua licença, mas pode provar sua afirmação?

Esli Soares disse...

Neto,

O livre-arbitrio é tão bíblico quanto dizer que se o homem é a imagem de Deus, então Deus tem um corpo, olhos, mão... etc.

Ou seja é pura infantilidade conceitual ou soberba humanista.

Esli Soares

P.S. Vamos amanha na Bethesda, eu te dou carona...

Neto disse...

Irmão Georges,

Aguardo sua resposta Bíblica, será um prazer debatermos sobre isso.



Irmão Esli,

Mande-me um e-mail, por favor, para podermos combinar!



Clóvis,

Perdão de novo pelo desvio do assunto do tópico! Espero que não se torne comum...

Um abraço à todos.

Neto disse...

Ops!

Clóvis, perdão de novo! Mas dessa vez por não te chamar de irmão, assim como com o Esli e o Georges!

COSTUME! rs


Um abraço a todos, Deus abençoe.

Esli Soares disse...

Clóvis desculpe-me usar o blog como NSN

Esli Soares disse...

Neto estou saindo meu e-mail é rev.esli@yahoo.com.br, normalmente saiu umas 10h, é só mandar um e-mail q t passo o tel.

Anonymous disse...

Meu querido irmão concordo com seu relato explicativo, porem nem todos tem o dom para, ver, ouvir e entender a palavra de DEUS; pergunto você que acha que tem Livre Arbítrio também acha que Judas escolheu trair JESUS por acaso que a historia da vida de JESUS aconteceu porque Judas o traiu,isto tudo e soberania de DEUS conforme a sua vontade no seu devido tempo.Não fique constrangido se achando que e um robô fazendo a vontade de DEUS, sinta-se feliz porque ELE te escolheu sem você merecer e isto e Graça.O homem tem a livre agencia e é direito de escolha a qual responderá por seus atos naquele dia.

Neto disse...

Concordo com o Anonimo acima!

Como eu lí certa vez:
"A doutrina da eleição não deveria nos fazer perguntar 'Porque Deus não escolheu a todos?' mas sim 'Porque Ele me escolheu?' Essa é uma questão que deveria fazer todo cristão ser um adorador nato!"

E essa frase eu assino embaixo!

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.