Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

01 dezembro 2008

(Ad)oração (à moda puritana)

Ó Senhor, Deus exaltado,
Senhor da aliança com teu povo,
fiel, misericordioso, justo Juiz,
Salvador nosso e Rei sobre todos,
dá-me sempre lembrar quem és
e quem sou.

Dá-me um coração transformado
para render-te minha adoração
e oferecer meu sacrifício diante do teu altar
sem presunção, sem ironia, sem arrogância.
Não permitas que eu me fie
na minha fidelidade,
no meu cumprimento da tua lei,
na perfeição das minhas ofertas,
na abundância dos meus sacrifícios.
Não permitas com meu orgulho insultar
tua majestidade e santidade,
tua justiça e misericórdia,
tua fidelidade e tuas promessas,
tua suficiência,
tua exclusividade,
tua unicidade,
tua insuperabilidade.
Nada além da cruz me faz aproximar-me de ti
com a atitude certa.

Traze sempre à lembrança
o que já me declaraste,
tua vontade, tua lei,
teu conselho, tua correção,
tua instrução e direção —
tudo o que chamas de “bom”.
E de fato é boa e doce a tua voz,
agradável a tua instrução,
deleitável teu conselho.

Pela plena justiça de Cristo,
dá-me pautar meus atos.
Dá-me negar meus confortos,
desejos, luxos e prazeres,
a favor do próximo,
despindo-me da injustiça.

Por tua elevada benevolência,
tendo-nos amado primeiro
e em amor te doado na pessoa
de teu Filho, dá-me ser amoroso,
gentil, benevolente, com graça
e misericórdia, com um amor
leal,
constante,
gratuito,
sobejante,
extravagante.

E sabendo quem és e quem sou,
conhecendo o Deus Servo que
se humilhou abandonando sua glória,
andando aqui humildemente
por amor, para salvar,
dá-me olhar para ti como Exaltado
e para mim como humilhado servo inútil,
cujos sacrifícios e obras imperfeitos
não o podem salvar, cuja arrogância
o prende, cujo orgulho o faz abominável,
mas, apesar disso, é ainda assim
objeto de tua graça.

Faze-me humilde para me fazeres justo e benevolente.
Abate-me para seres exaltado.
Ensina-me o caminho da graça
e ajuda-me a renunciar às obras da carne.

Sê Exaltado! Seja eu humilhado!

Fonte: Graça Soberana

2 comentários:

Ednaldo disse...

Acho que muitos crentes não podem fazer essa oração sem sentir um peso.

Muito boa.

Em Cristo,

Ednaldo.

Clóvis disse...

Ednaldo,

Meu coração anseia por uma vida em que orar assim seja "natural". Mas minha carne teme que a oração seja atendida.

Pois na presença de Deus, sinto que devo me humilhar e me humilho. Mas ao levantar minha carne deseja ser reconhecida pela humilhação apresentada, o que me leva a desconfiar que muito da minha humilhação nada mais era que orgulho disfarçado e mal disfarçado.

Que Deus tenha misericórdia deste pecador, que nem orar sabe!

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.