Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

03 dezembro 2008

Santa Catarina: como ajudar



"Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?" 1Jo 3:17

Os desabrigados de Santa Catarina precisam de ajuda. De muita ajuda. Será que nossas igrejas poderiam destinar as ofertas dominicais de um mês para ajudar? Sugira isso ao seu pastor.

Caso sua igreja não concorde com sua sugestão, deposite pelo menos a metade do dízimo que você entregaria numa das contas abaixo. Deus te abençoará:

Banco do Brasil
Agência: 3582-3
Conta corrente: 80.000-7

Besc
Agência: 068-0
Conta Corrente: 80.000-0

Bradesco S/A
Agência: 0348-4
Conta Corrente: 160.000-1

Titular das contas (pessoa jurídica): Fundo Estadual de Defesa Civil CNPJ: 04.426.883/0001-57

Você também pode doar água, alimentos e roupas. Há necessidade principalmente de alimentos não-perecíveis, produtos de limpeza, colchões, cobertores e travesseiros em bom estado.

Informe-se sobre postos de coleta na Defesa Civil do seu estado:

CEDEC/RS - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Rio Grande do Sul
www.defesacivil.rs.gov.br
Fone: (51) 3210 4219

DEDC/SC - Diretoria Estadual de Defesa Civil de Santa Catarina
www.defesacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 4009 9816

CEDEC/PR - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná
www.pr.gov.br/defesacivil

SEDEC/RJ - Secretaria de Estado da Defesa Civil do Rio de Janeiro
www.defesacivil.rj.gov.br

CEDEC/SP - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo
www.defesacivil.sp.gov.br
Fone: (11) 2193-8888

CEDEC/MG - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais
www.defesacivil.mg.gov.br
Fone: (31) 3236-2111

CEDEC/ES - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Espírito Santo
www.defesacivil.es.gov.br
Fone: (27) 3137-4441

SIDEC/DF - Sistema de Defesa Civil do Distrito Federal
www.defesacivil.df.gov.br

CEDEC/MS - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul
www.defesacivil.ms.gov.br
Fone: (67) 3318.1078

Em Cristo,

Clóvis

4 comentários:

james disse...

Clóvis,

Como os dízimos fizeram parte da lei a Israel, e não aos gentios...

Porque os evangélicos que barganham com Deus bênçãos materiais com seus dízimos, não doam nos próximos meses, não parte, mas todos os dízimos aos irmãos catarinenses??

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Ricardo Andrei Ferran disse...

Clovis,
Estou assintindo daqui dos Estados Unidos pela record, Porem as ajudas que estamos fazendo para com os que estao precisando, nao estao recebendo nada ate agora, a prefeitura nao tem estrutura para fazer essas destribuicoes, quer dizer, mesmo sendo ajudados os Homeless, estao ainda sem receber Nada!! A Pergunta e estamos servindo Pra que??? ou Pra Quem???
Obs: Nao quero Dizer que temos que deixar de fazer!!

Clóvis disse...

James,

Obrigado pela sua participação.

Eu não tenho uma posição anti-dízimo, embora entenda que os crentes estão desobrigados dele. Entendo que se alguém desejar contribuir para o Reino de forma sistemática, o dízimo é um excelente sistema, por atender aos princípios da regularidade e proporcionalidade.

No caso, creio que as igrejas poderiam e deveriam ajudar, mesmo porque entre os desabrigados há, certamento, irmãos de mesma denominação. Não creio que as ofertas dominicais de um mês venham a comprometer as finanças da igreja, e mesmo que comprometam é bem menos que perder tudo, como nossos irmãos catarinenses.

Creio também que se as igrejas não quiserem ajudar, os membros poderão, de sã consciência entregar dízimos e ofertas diretamente aos necessitados.

Não estou pregando uma "rebeldia" aos sistemas de contribuição das igrejas, mas situações desesperadoras requerem medidas fortes.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Ricardo,

Não sei de suas fontes, mas esta informação não corresponde à inteira verdade. Há sim deficiências na distribuição, pois a defesa civil não estava preparada para uma tragédia nessas proporções. Porém, na medida do possível, estão sendo feitas distribuições de alimentos.

Sei que os acessos às cidades está praticamente restabelecido, minha empresa mesmo doou água e leite e outras aqui da cidade enviaram alimentos e chegaram até lá. Ontem vi um apelo no Jo em que a defesa civil de SP pedia ajuda de pessoas para classificar as doações recebidas. Ou seja, a dificuldade não é apenas nas regiões do vale do Itajaí, mas nos estados em que as doações estão sendo recebidas.

Também vi a entrevista em que um dos organizadores da assistência aos desabrigados dizia que todos os itens recebidos são registrados e todos os atendidos são cadastrados, para garantir que todas as doações chegarão aos necessitados. Claro que sempre haverá uns asseclas do coisa ruim que irão tentar tirar vantagem dessa situação, mas isso de forma alguma deve nos desistimular. Pelo contrário, devemos fazer um esforço extra para cobrir os eventuais desvios.

Finalmente, não podemos pensar que a ajuda será necessária apenas neste momento. Alguns ficarão fora de suas casas por até um ano, vivendo em abrigos. Assim, não vamos esmorecer, vamos continuar ajudando.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.