Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

12 janeiro 2009

Dicas para escolher uma Bíblia de estudo pessoal


Algumas pessoas pedem dicas para comprar uma Bíblia de estudo. São várias as opções no mercado, então ao invés de indicar uma em específico, listo as principais características de uma boa Bíblia de estudo pessoal. Você verá que não tem muito a ver com as Bíblias comerciais existentes no mercado.

1. Letras grandes

Se você vai estudar a Bíblia, irá lê-la frequentemente. Então a principal características é que ela seja de fácil leitura, ou seja, que não canse a vista. É bom que você verifique o tamanho e o tipo da fonte, além da cor do papel, para ver se proporciona uma leitura confortável.

2. Margens grandes

Bíblia pequena geralmente implica letra pequena e margens pequenas. Se você vai estudar a Bíblia, deverá fazer anotações nas margens. Por isso as margens devem ser de tamanho tal que permitam o registro de observações, descobertas e pontos de vista.

3. Ausência de notas

Um dos principais obstáculos a um estudo proveitoso do texto bíblico é a existência de notas. Elas competem em autoridade com o texto e produzem preconceitos. Você deve estudar o que a Bíblia diz e não o que alguém diz sobre o que a Bíblia diz.

4. Sem subtítulos

Isto não é de importância fundamental, mas se você encontrar Bíblias que não tragam subtítulos, é melhor. Pois estes também acabam por te levar ao texto com uma idéia pré-concebida, às vezes não tão precisa. Por exemplo, no texto com a oração que o Senhor ensinou, às vezes encontramos o título "A oração do Senhor", quando a oração do Senhor está em João 17.

5. Com referências cruzadas

Referências cruzadas indicam passagens paralelas. São bastante úteis para você comparar Escritura com Escritura, obtendo o ensino geral das Escrituras sobre um determinado tema.

6. Com concordância

Um concordância ajuda você a encontrar passagens bíblicas que você já leu, a partir de algumas palavras que você lembra que estão no texto. Também é útil para estudo de grandes temas da Bíblia

7. Tradução verdadeira

Deixei por último a dica mais importante. A escolha de uma boa tradução é fundamental. O primeiro critério é que seja de fato uma tradução verdadeira e não uma paráfrase. Embora as paráfrases como a Bíblia na Linguagem de Hoje, a Bíblia Viva e Cartas para Hoje sejam de fácil leitura, são uma interpretação e não uma tradução propriamente dita. Entre as traduções, considero as melhores para estudo, embora não sejam de tão fácil leitura, a Almeida Corrigida Fiel e Almeida Revista e Corrigida. Outras boas opções são a Almeida Revista e Atualizada e a Nova Versão Internacional.

Bom estudo!

26 comentários:

voltemosaoevangelho disse...

Ótimas dicas...
Realmente, difícil de achar.

É por isso que quando vou estudar um livro a fundo eu jogo no Word tiro todos versículos e títulos e deixo margem e uso letra grande. rsrs

E depois disponibilizo no blog ^^

ps: tem gente que acha que a NTLH não é paráfrase. Assustador!

Josélio disse...

Bom texto, acho que essa bíblia não existe no mercado editorial.

Por falar em versão da bíblia, a polémica sobre isso é grande. eu, particularmente gosto de estudar na ACF e ARC, mas leio bastante na ARA e na NVI.

Mas prolifera texto na internet falando muita coisa sobre essas versões ARA e NVI, chegando ao ponto de dizer que são versões ecumênicas e obra do diabo.

Gostaria de saber a opnião dos leitores do blog, bem como do Cleber sobre os textos que falam contra essas versões, ARA e NVI, e também dessas versões da bíblia.

Deixo aqui minha admiração por esse canal de benção.

Bom dia e boa sorte.

Josélio

André Aloísio disse...

Olá Clóvis, graça e paz!

Acrescento entre as boas versões a Almeida Século XXI. Minha leitura anual deste ano está sendo feita nessa versão e estou gostando dela. Ela fica como uma intermediária entre a ARA e a NVI. É de fácil leitura, mas carrega um tom bem tradicional nas palavras, como as versões clássicas.

Abraços,

André Aloísio
O principal dos pecadores (I Tm.1.15)
http://teologia-vida.blogspot.com

Helder Nozima disse...

Bíblia de estudo sem notas não é Bíblia de estudo...quem compra esse tipo de material, imagina-se, são pessoas que querem se aprofundar e que são capazes de diferenciar o texto das notas. As notas não competem em autoridade, elas ajudam a esclarecer informações lingüísticas, históricas e até mesmo sobre pontos de vista teológicos diferentes sobre o texto.
O ideal, por conta disso, não é ter apenas uma Bíblia de Estudo, mas mais de uma, com pontos diferentes, para formar uma opinião particular sobre o texto.

Isaias Lobao disse...

Olá Clóvis. Gostaria de dar meu pitaco. Em primeiro lugar, concordo com você em muita coisa, mas estou com o Nozima. Bíblia de Estudo tem que ter notas e comentários. Temos diversas opções e acredito que elas são muito úteis. Para o que você propõe, acredito que o melhor seria Bíblia PARA estudo e não Bíblia de Estudo.

Quanto as versões bíblicas, não considero a Revista e Corrigida ou a Almeida Fiel as melhores versões. A base textual delas é muito fraca e não encontra respaldo entre os acadêmicos mais respeitados. Mesmo que o barulho virtual seja alto, como é o caso dos irmãos fundamentalistas que mantém sites e blogs atacando a NVI e a ARA, os argumentos deles são inconsistentes. Não me convencem.

Corroborando com o André. Estou lendo a versão Almeida Século XXI e estou gostando muito. Acredito que ela vai ocupar um grande espaço entre os crentes. Ele traz opções textuais muito ricas e corajosas, como o fim da Comma Johanina, entre outras.

Fico por aqui, um abração.

Clóvis disse...

Vini,

Eu realmente não gosto da NTLH. Se for para escolher uma linguagem fluente, a NVI seria minha escolha, mas ainda prefiro uma Almeida.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Josélio,

E opto pelos Textus Receptus e por traduções com equivalência formal. Mas não considero que as demais sejam espúrias ou diabólicas. Tanto que estou fazendo a minha leitura anual numa NVI (Bíblia em Ordem Cronológica).

Creio que se deveria esclarecer as pessoas sobre os textos em que se baseiam as traduções, bem como o método de tradução utilizado ao invés de polemizar.

Minha indicação é mais uma questão de preferência do que de rejeição. Apenas rejeito as paráfrases vendidas como traduções.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

André,

Ainda não fui apresentado à Almeida 21. Assim que tiver oportunidade, vou experimentar.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Helder,

Discordo de sua discordância. A Thompson não tem notas e é uma Bíblia de estudos... De qualquer forma, eu disse que minhas dicas não tinham muito a ver com as Bíblias de estudo disponíveis no mercado.

Infelizmente, nem sempre quem compra uma Bíblia de Estudo quer se aprofundar, na verdade, a maioria que eu conheço que tem uma Bíblia dessa querem "comprimidos" de interpretação. Uma pessoa me disse semana passada que queria comprar a Shedd por causa das notas homiléticas.

Além disso, não devemos substimar a autoridade das notas. Veja que o grande crédito pela popularidade do dispensacionalismo é dado às anotações da Bíblia de Scofield. Imagine o estrago que a Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira fará nos já inclinados à teologia da prosperidade.

Eu tenho algumas Bíblias com notas e já li outras e posso lhe dizer que algumas são boas, mas outras são péssimas. Algumas simplesmente desmentem o que o texto diz!

Mas concordo com você, se for para ter uma Bíblia de estudo, que se tenha várias. Eu tenho a Thompson, a Genebra, a Plenitude, a Vida Nova, meu filho tem a Shedd e e minha esposa a Devocional da Mulher. Mas geralmente ficam na estante, para consultas eventuais.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Isaías,

Que bom tê-lo por aqui!

Eu pensei em colocar Bíblia PARA estudo ao invés de Bíblia de estudo. Mas a confusão foi, até certo ponto, proposital. Acredito que o texto sagrado anda meio que perdido no meio de tanta Bíblia de estudo. Hoje só falta Bíblia de estudo do Clóvis, pois quase todo mundo tem a sua.

Continuo discordando de você sobre as melhores versões. Mas como disse ao Josélio, é uma questão de preferência e não de rejeição. Apesar de preferir (e muito) uma ACF e uma ARC à todas as outras disponíveis (não conheço a Almeida 21), não entro na briga TR x TC.

Em Cristo,

Clóvis

Joabe disse...

Caro Clovis ,
A paz do SENHOR.

Como bom assembleiano eu gosto da Biblia de Estudo Pentecostal (ARC) , mas tambem gosto da Biblia de Estudo de Genebra(ARA).

Um Abraço e que Deus o abençoe.

Joabe Ferreira.

Clóvis disse...

Joabe,

Não sou assembleiano e não sou bom. Assim, não gosto da Bíblia de estudo pentecostal.

Um exemplo? A explicação sobre 1Sm 28.

Já a Genebra, é uma das melhores.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Joabe,

Em tempo, a Plenitude, lida com critério, é muito melhor que a Pentecostal. As notas de Romanos são ótimas.

Clóvis

Joabe disse...

Clovis,
A paz do SENHOR.
Eu sei que Bom somente um é. Que é Deus. Contudo, por bom eu quis dizer típico. Ou seja, como “típico” assembleiano eu gosto de hinos da harpa, saúdo os irmãos com “a paz do senhor”, e tenho uma Bíblia de Estudo Pentecostal. Tambem tenho outras, tipo :Biblia de Estudo Apologética (ACF), Biblia de Evangelismo (NVI) e mais algumas na versão de Almeida.
Só uma perguntinha o irmão e de que denominação ?
E foi muito legal da sua parte adicionar o blog Apologia e Espiritualidade entre seus blogs amigos. Vou falar com o pessoal para fazer o mesmo com o seu. Mas so faltou você deixar sua opinião lá.
Um Abraço,
Joabe

Clóvis disse...

Joabe,

Sirvo na Igreja O Brasil para Cristo. Quanto ao apologia e espiritualidade, comentarei assim que o tempo permitir.

Clóvis

Thiago Velozo Titillo disse...

Eu acho que a ACF é indiscutivelmente um texto fiel, mas ao mesmo tempo, rebuscado.

Concordo com o autor: eu tenho várias Bíblias de Estudo e acho válido para quem está iniciando a caminhada cristã. Contudo, depois de um tempo e de muitas Bíblias de Estudo e Comentários Bíblicos, ganhamos uma certa autonomia bíblico-teológica. Isso nos faz ver as notas como algo "escravizante", pois é impossível lermos um texto sem imediatamente vermos a opinião do editor.

Uso atualmente, para exercício do Ministério uma ARC (1995), que contém um texto híbrido (Crítico e Recebido). Uso-a pelo tamanho da letra, pois minha ACF tem suas letras menores... Gostaria de achar uma ACF com letras Gigantes...

Um forte abraço a todos.

Clóvis disse...

Thiago,

Eu também uso uma ARC, pois minha "Bíblia de igreja" atualmente é a Genebra.

Para minha leitura anual, estou indo de NVI, mas porque resolvi ler a Bíblia em ordem cronológica. Para tira teima, uso a ARC.

Só tenho acesso à ACF eletronicamente.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Ops,

Dando uma corrigida. No comentário acima, onde disse "uso uma ARC", quis dizer "uso uma ARA".

Clóvis

W. Magalhães disse...

Eu simplesmente não consigo me decidir por nenhuma em especial.
As notas da BENVI, em minha rasteira opinião, estão entre as mais, digamos, francas, e seu texto é fluido. As da Plenitude são democráticas (valoriza as escolas de pensamento).A Genebra me parece ter notas serias e submissas ao contexto e ao restante da Bíblia, a Thompson tem um "banco de dados" que se tornou imprescindível pra mim...

Clóvis, eu queria uma só, mas com tudo. :-)
Grande abraço.

Clóvis disse...

W. Magalhães,

Como disse, não sou de recomendar Bíblias de estudo. Mas se fosse recomendar, colocaria na seguinte ordem:

1. Thompson
2. Plenitude
3. Genebra

Em Cristo,

Clóvis

Ismael disse...

Olá irmão Clóvis

É a primeira vez que participo do seu blog, sempre leio e sou muito edificado.
Quanto a Bíblia para estudo pessoal, acaba de ser lançada pela Editora Central Gospel a Bíblia Sagrada Anote, esta Bíblia é do jeito que você descreveu que deveria ser uma Bíblia para ser estudar, não tem notas, possui referências cruzadas, concordância, dicionário Bíblico, e nas laterais de todas as páginas e no rodapé é marcada como folha de caderno para anotações, e na versão Revista e Corrigida da Imprensa Bíblica do Brasil.
Quanto as versões da Bíblia sou defensor do Texto Receptus e prefiro estudar na ACF e ARC que são Bíblias traduzidas a partir deste texto, eu sei como o irmão Isaías disse que o TR não tem popularidade em meio aos eruditos e acadêmicos, eles preferem o Texto Critico e as Bíblia traduzidas a partir dele, ARA, Versão Revisada IBB, NVI por exemplo.
Mas não podemos esquecer que o TC foi rejeitado pela maioria dos estudiosos e tradutores na história da igreja e não tinha esta popularidade que tem hoje no meio acadêmico e que começou no final do século 19 e começo do século 20, o TC tem muitas omissões e corrupções se comparado ao TR, e eu penso que é mais fácil omitir do que acrescentar, o ponto positivo com relação ao TC é que acrescentou e muito a pesquisa sobre critica textual, história da igreja e bibliologia, é um fato que não pode negado, e muitos dos defensores do TC são homens de Deus.
Finalizando, prefiro estudar Bíblia na versão ACF e ARC, são as Bíblias que uso e recomendo, mas também possuo Almeida Século 21, NVI e ARA mas uso apenas para comparação.

Um abraço e fique com Deus
Ismael

Clóvis disse...

Ismael,

Obrigado por sua participação. Não fique apenas lendo, contribua.

Obrigado pela dica da Bíblia Anote. Se for como você está falando, essa editora melhorará em muito o conceito que tenho dela, que não é muito bom.

Sobre o TR e Almeida Corrigida, também são minhas preferidas, embora não descarte as outras.

Em Cristo,

Clóvis

William Roberto disse...

Eu gosto muito de ler a Bíblia de Estudo de Genebra,até porque estou estudando muito adoutrina reformada,na qual conheci a 1 ano e que me convenceu totalmente!Essa Bíblia tem me ajudado e muito a entender cada dia mais essa doutrina que amo muito!
Mas uma Bíblia que adimiro muito é a Shedd,é um ótimo trabalho e uma boa finte de estudo,sobre a Thompson eu fico meio em dúvida,parece muito sem posição doutrinária

Boa Tarde!!
William

Fabrício disse...

Bíblias de estudo tenho a de Genebra e a Vida Nova. Em se tratando de tradução, prefiro a Bíblia de Jerusalém. E gosto também do Novo Testamento Judaico, uma versão teonomista por excelência.

Abs!

Eliseu Antonio Gomes disse...

Clovis

Sobre as Bíblias de Estudos Vida Nova, Thompson, Sheed e o texto bíblico Efésios 4.11

Você já reparou o seguinte?

A Bíblia de Estudo Vida Nova, publicação que não existe mais, trazia ao mesmo tempo as Referências Thompson e as notas de Sheed? Isto é, ela pode ser considerada, hoje, uma Bíblia de Estudo 2 em 1! Plus!

Com certeza, por força contratual, a editora Edições Vida Nova perdeu os direitos dos estudos de Thompson, adquiridos logo a seguir pela Editora Vida, que sem perder muito tempo, logo lançou a Bíblia de Referências Thompson. E a editora Vida Nova, seguindo adiante, lançou a Sheed, apenas com os comentários do renomado teólogo.

Considero os estudos bíblicos inseridos nas Bíblias de Estudos algo importante. Aprendi a amar a Deus de verdade estudando a Palavra de Deus baseado nesses auxílios.

Foi pelos idos de 1985-89, usando uma Bíblia Vida Nova, primeira edição, e sendo assídio nas aulas das escolas bíblicas dominicais, onde havia material da CPAD, que firmei minha fé em Cristo. Inclusive me destacando como professor de classe de jovens.

Penso que os comentaristas destas Bíblias estejam catalogados em Efésios 4.11 São doutores, mestres (ARC / ARA). Eles estão na mesma classe dos profetas, dos apóstolos, pastores e evagelistas, "com vista ao aperfeiçoamento dos santos".

É obvio e ululante que todo estudante das Escrituras deve fazer leitura crítica ao se debruçar nas notas-de-rodapé. Assim como todo cristão, igualmente, ao ouvir os sermões nos cultos ou abrir Lições Bíblicas... Acima do elemento humano, falível, mesmo que tenha as melhores intenções, deve estar o nosso Deus, inerrante.

Temos que examinar tudo e ficar apenas com o que for realmente bom.

Abraço.

Eliseu Antonio Gomes
http/belverede.blogspot.com/

Clóvis disse...

Eliseu,

Obrigado por sua participação neste tema, mais que relevante quando se discute o lançamento da Bíblia de Estudo Dake pela CPAD, cujas notas contém desvios e devaneios teológicos.

Minha primeira Bíblia de estudo foi uma Vida Nova, que ainda conservo comigo. Depois adquiri uma Thompson e mais recentemente presenteei meu filho com uma Shedd. Nunca havia me tocado de que a Vida Nova era uma 2 em 1.

Eu mantenho minha posição sobre Bíblias de estudo, por considerar que os ganhos que oferecem não compensam os perigos que apresentam. Há Bíblia envenenadas no mercado, verdadeiras TNM, vendidas lado a lado com Bíblias que podem ser consideradas ortodoxas.

Eu também considero alguns autores das notas como pastores-doutores de Ef 4:11. E seria estúpido se prescindisse dos conhecimentos e ajudas do Dr. Russel Shedd, para ficar só num exemplo, e talvez no melhor deles.

Porém, entendo que no processo de estudo da Bíblia, comentários são o último recurso, só devem ser consultados depois do texto ser bem estudado, com o contexto compreendido, com leituras de passagens paralelas (referências cruzadas), consultas a dicionários, manuais e enciclopédias feitas e uma síntese (paráfrase) pessoal elaborada. Porém, com a popularização de tais Bíblias, as pessoas tendem a ir do texto direto à nota, isso quando não vão da nota ao texto.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.