Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

14 fevereiro 2009

Judaismo e soberania - 2

Nada no Universo poderia resistir ao poder de Deus ou mudar Seus propósitos. Seu propósito abraçou tudo o que era, o que é e o que será. A história do mundo é o seu grande plano, no qual todas as coisas se movem em direção ao cumprimento de Seu propósito, do final que está em Sua mente. Não apenas o grande todo, mas cada momento, cada evento, cada indivíduo, cada criatura estão envolvidos em Seu plano e são objetos de Sua providência particular. Todos os caminhos do homem são direcionados por Deus (Sl 37:23; Pv 20:24). Um homem nem mesmo machuca um dedo sem que isto tenha sido proclamado no alto que ele faria isso.

G. F. Moore
In: Judaism

6 comentários:

Ednaldo disse...

Muito bom Clóvis.

Ednaldo.

Clóvis disse...

Pois é, Ednaldo.

Alguns tentam redefinir a soberania divina, dizendo que nossa visão da divindade foi herdada da filosofia grega, e não da religião judaica.

Mas a verdade é que para o judeu, Deus era soberano num sentido que não deixa nada a desejar ao calvinismo. Aliás, o Novo Testamento confirma que nada acontece sem que tenha sido determinado por Deus.

Em Cristo,

Clóvis

cleysson disse...

a cada dia que se passa nos aproximamos ou nos distanciamos mais de Deus.

Clóvis disse...

Claysson,

O certo é nos aproximarmos mais de Deus na medida que progredimos em nossa vida espiritual.

O afastar-se de Deus pode até acontecer, mas não é o desenvolvimento natural do nascido de novo.

Em Cristo,

Clóvis

Lucas Louback e João Vítor disse...

Ótimo clovis.
Sobre o texto de John Newton, fique a vontade seria quanto mas pessoas sendo edificadas com ele melhor
Abraço

Clóvis disse...

Lucas,

Obrigado pelo seu comentário e pela liberação do texto do John Newton.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.