Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

12 março 2009

Não fica bem falar de fraqueza

É assim que os temas centrais do cristianismo tem sido lentamente abandonados ou de tal forma diluídos que perdem totalmente seu caráter genuinamente cristão. É o caso de doutrinas como a depravação total do homem e a escravidão da vontade humana. Não há espaço na mente pós-moderna ara a idéia de um homem que tenha todas as suas faculdades afetadas pelo pecado, de modo que o mover espontâneo de seu ser seja imperfeito e espiritualmente reprovável e nunca caminhe na direção do Bem Supremo. Não se concebe um homem de tal forma contaminado que sua capacidade de escolha seja comprometida. A soberania de Deus, embora presente nos discursos, não é vivida na vida e no culto evangélicos. Deus é praticamente um servo do homem, uma vez que tem o compromisso de atender às reinvidicações do coração do homem de fé.

Jadiel Martins Sousa
In: Charles Finney e a secularização da igreja. Editora Parakletos

5 comentários:

Franciney disse...

Clóvis a uns dois anos atrás peguei este livro nas mãos, li a sintese e achei muito interesante o assunto e muito atual, porém não comprei o livro, que pena, e agora vejo que você o leu e indica a sua leitura, não é isso?

Que Deus te abençoe

Fraternalmente em Cristo,

Franciney.

Clóvis disse...

Franciney,

Sim, é o livro que estou lendo no momento. Mas já posso recomendar.

Para os arminianos que podem estar torcendo o nariz e dizendo "mais um livro a descer a ripa no Finney", o livro faz uma análise equilibrada e não deixa de destacar aspectos positivos de seu ministério.

Em Cristo,

Helder Nozima disse...

Se as pessoas compreendessem a depravação total, então os outros quatro pontos do calvinismo seriam apenas desdobramentos lógicos...e mudaria radicalmente a visão que as pessoas têm de Deus e de si mesmas.

Mto bom o post!

Clóvis disse...

Helder,

Então, quando me converti, fui ensinado que era totalmente incapaz e que não podia fazer nada para operar ou me preparar para a salvação. Foi o primeiro passo para que mais tarde fosse colocando os "tijolos" das outras doutrinas da graça.

Mas no caso do Finney, o homem é capaz de operar a sua própria conversão...

Em Cristo,

Clóvis

Angel... disse...

É bem real as situações das igrejas, dos "crentes ",achei interessante o jeito que é abordado o assunto.
Gostei, vai pra minha lista de livros que ainda pretendo ler. Obrigada Clóvis.

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.