Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

10 junho 2009

Dízimo bomba relógio

Há bons argumentos para levar as pessoas a pagarem dízimos . E há péssimos argumentos também utilizados com essa finalidade. Porém, dia desses me deparei com um argumento que não sei bem onde enquadrar. Resolvi chamar de argumento explosivo, talvez tenha sido inspirado em Bin Laden:
"Dízimo é uma bomba-relógio. Algumas pessoas alegam que não tem entregue o dízimo porque desconfiam da liderança de sua igreja, ou do próprio pastor. Quando você não dizima, a bomba explode em sua mão (maldição). Quando entregamos o dízimo e o pastor e a liderança utilizam mal, a bomba explode nas mãos deles! Você escolhe onde deixar essa bomba: nas suas mãos ou na deles!"(Jesher Cardos, em "Diga a Satanás: Toucht", p. 115).

4 comentários:

Ednaldo disse...

Eita!!!! Descobri o motivo da queda do teto da Renascer, o dízimo dos fiéis explodiu nas mãos do apostolo e da "bispa"?

Eu sei que poucos vão rir, mas não é para rir mesmo.

Mas que argumentozinho tacanha esse para defender o dízimo.

Ednaldo.

Clóvis disse...

Ednaldo,

E só não ri porque a bomba não explodiu na cabeça do casal 171, mas caiu na cabeça dos que estavam no templo e, quem sabe, tinham entregado o dízimo e até mais.

Agora, que o sujeito se superou para fazer as pessoas "se livrarem" do dízimo, isso foi.

Em Cristo,

Clóvis

Daniel Grubba disse...

Meu Deus,...

Joga o evangelho no lixo, recostura o véu, restitui um sacerdote levítico e pisa no sangue da nova aliança....pouparia o esforço de ter que elaborar um argumento tão impressionante assim...

Clóvis disse...

Daniel,

Lamentável, não acha? Ele deve ter pensado que assustar só com o devorador não bastava.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.