Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

21 agosto 2009

Tipos de gente

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Rm 3:23

Alguns não gostam de ser rotulados como católico, protestante, reformado, evangélico, arminiano, calvinista, batista, milenista, trinitariano, fundamentalista, dicotomista, contemporanista, e outras tantas etiquetas que penduramos nas pessoas. Tem razão, embora possam ser úteis, esses rótulos trazem alguns problemas, inclusive porque alguns na sua origem ou no uso atual são pejorativos.

Para evitar ser rotulados, alguns rotuladores dizem "sou cristão, sou crente, sou salvo". Na verdade, não lhes incomoda serem rotulados, mas querem escolher o seu próprio rótulo.

O fato é que Deus também nos rotula. E o rótulo que ele coloca em nós não é aquele que preferimos, mas o que expressa realmente quem e como somos. O rótulo que Deus carimba em nós é "pecador". Este rótulo diz bem o tipo de gente que somos. Alguns não gostam, não ostentariam. Mas outros reconhecem, como Lutero, "não tenho outro nome, senão o de pecador; pecador é meu nome; pecador, meu sobrenome".

Mas há dois tipos de pecadores. Não grandes pecadores e pequenos pecadores, pois o inferno é um lugar apropriado tanto para uns como para outros. A subdivisão da classe dos pecadores é "pecadores arrependidos" e "pecadores impenitentes". Estas duas subdivisões também são conhecidas como salvos e perdidos, mas ambos ainda fazem parte da classe dos pecadores.

Se nenhum outro rótulos nos agrada, fiquemos como o rótulo que Deus nos dá: pecadores.

2 comentários:

Roberto Vargas Jr. disse...

Caríssimo irmão Clóvis,

Cara, há algum jeito de se fugir de rótulos? Eles não são nada além de um termo que define algo. Podemos ir para lá ou para cá, fazer malabarismos mil para que os rótulos se encaixem ao que queremos dizer, mas enquanto fazemos uso de linguagem, fazemos uso de rótulos.
Rótulo só é ruim, como você disse, se tem por objetivo alguma definição pejorativa (se for mesmo uma ofensa e não uma definição propriamente). No mais, vi alguns discutindo sobre usar ou não rótulos e achei uma grande bobagem!

Mas o ponto central de sua postagem, quanto ao homem como pecador (arrependido ou impenitente) é perfeita!

Grande abraço, no Santo,
Roberto

Célio R. disse...

Engraçado,,, refletia sobre isto nesta manhã(PECADO), tenho muito contato com pessoas da ccb(seita), e eles tem um habito muito engraçado de apontar alguns membros de seu meio e dizer que tal e tal estão em pecado, bom... em suma mesmo o mais fervoroso cristão é pecador o que importa realmente é a consciencia de quão pecadores somos, e quão incapazes somos diante deste fato, e este é um rotulo que pertence todos. Quanto ao rotulo não da maneira perjorativa é de suma importancia pois nos identifica, isto é do ser humano e muito necessario para nossa comunicação e colocação na sociedade. Certa vez houve um pregador em minha igreja e ele criticou muito o fato das igrejas terem placa( Presbiteriana,AD, Metodista...) e que a igreja era uma só, por que eram só rotulos, mas sem a identificação tanto faz eu ir em uma seita ou numa igreja cristã, rotulos são endereços onde podemos achar o que procuramos.

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.