Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

02 outubro 2009

Efeitos infelizes do novo evangelho


Acresça-se a isso que o antigo evangelho salvaguarda valores que são perdidos pelo novo evangelho. Já pudemos ver que o novo evangelho, ao asseverar uma redenção universal e um propósito divino salvador universal, é forçado a desvalorizar a graça e a cruz ao negar que o Pai e o Filho são soberanos na salvação; porquanto assegura que depois do Pai e de Cristo terem feito tudo quanto podem ou desejariam fazer, em última análise depende da própria escolha do indivíduo se o propósito salvatício de Deus cumprir-se-á neles ou não.

Essa posição, pois, produz dois efeitos infelizes. O primeiro é que nos compele a compreender mal o significado dos graciosos convites de Cristo no evangelho, sobre os quais temos falado; pois agora temos de lê-los não como expressões da terna paciência de um todo-poderoso soberano, mas como os apelos patéticos de um desejo impotente. E assim, o entronizado Senhor é subitamente metamorfoseado em uma débil e fútil figura, a bater desconsoladamente à porta do coração humano, o qual Ele não é capaz de abrir. Essa é uma vergonhosa desonra para o Cristo do Novo Testamento.

E a segunda implicação é igualmente séria. Pois esse ponto de vista na verdade nega que dependemos de Deus, quando se trata de decisões vitais, arrebatandonos para fora de Sua mão, dizendo-nos que aquilo que somos, afinal de contas, é aquilo que o pecado nos ensinou a pensar que éramos — senhores de nosso destino, capitães de nossas próprias almas. E isso serve tão somente para solapar os próprios alicerces do relacionamento religioso do
homem com o seu Criador.

J. I. Packer
In: O Antigo Evangelho

6 comentários:

Renê disse...

Estava pensando, o que justificaria a eleição incondicional do homem por Deus para sua salvação.
Seria a incompetência do homem para escolher, por si mesmo, o seu caminho e optar por viver com Cristo? Ou talvez o ciúme de Deus, achando que estaria perdendo um pouco da sua glória caso isso acontecesse? Deus estaria achando o homem muito auto-suficiente pra tomar alguma decisão importante sem ser totalmente dependente de Deus?
Creio que tudo isso pra Deus é nada, são somente suposições que os homens fazem pra tentar encontrar uma resposta para a ação do Deus todo Poderoso.
Ele em sua justiça determinou que o homem teria uma chance de se reconciliar com ele e entregou seu filho para pagar o preço do resgate do homem. Assim o homem novamente tem a chance de ter comunhão com ele. (não tem nada que impeça o homem de ouvir a Deus). Agora quais homens seriam resgatados para terem essa chance? Digo chance, pois, ainda não houve uma escolha de quem seria escolhido (não no tempo de Deus, é claro). Assim como fez com Adão, Deus vai mostrar ao homem o caminho que ele pode seguir e individualmente pedirá que ele escolha por qual porta vai entrar na eternidade. Este é o plano de salvação de Deus para o mundo.

Já sabendo que você não vai concordar com isso, peço que me mostre onde esta o erro nesse plano. Lembre-se de que o plano de salvação é de Deus ele que concebeu e o esta realizando e toda honra e glória pertencem a ele. Outra coisa creio que a ordem dos acontecimentos tem que ser da forma que coloquei, se não, a conclusão desse plano é totalmente de acordo com sua vontade.

Neto disse...

Eu gostaria de responder todo o "plano", mas não vou...

Rene, creio que, infelizmente, você mesmo não percebeu a "falha" do "seu" plano, justamente porque, pra VOCÊ, não tem falhas... Agora, se Deus corrigisse a sua prova, você levaria um "C".
Porque? A sua lógica humana, valores humanos, suposições humanas. Lógicamente, te conduziria a uma "humanização" do Plano de Deus.

Não irei responder, porque creio que o Clóvis é muito mais capacitado e te responderá com amor.
E quem sabe você não muda de idéia?

Um abração. Em Cristo.

Clóvis disse...

Prezado Renê,

Você afirmou "este é o plano de salvação de Deus para o mundo. Já sabendo que você não vai concordar com isso, peço que me mostre onde esta o erro nesse plano". Atendendo ao seu pedido, tentarei expor as fragilidades do plano que você atribui a Deus mas que na verdade é o seu plano.

O primeiro erro é que você ignora o que a Bíblia ao tratar o assunto. A Bíblia diz que quando nós não éramos "ainda nascido, nem tendo praticado bem ou mal, para que o propósito de Deus segundo a eleição permanecesse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama" (Rm 9:11), Deus "nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor" (Ef 1:4).

O segundo erro é que você faz da eleição uma questão de justiça. Você afirma que "Ele em sua justiça determinou que o homem teria uma chance...". Ora, a eleição é gracioso e motivada pela misericórdia divina. A única coisa que a justiça teria para nós é a condenação de toda a raça, sem exceção. "Todos pecaram e separados estão da glória de Deus" (Rm 3:23) e "o salário do pecado é a morte" (Rm 6:23) exigem uma sentença, não uma chance.

O terceiro erro é você presumir que Deus teria que justificar o seu plano a você. Você começa eu texto considerando "o que justificaria a eleição incondicional do homem por Deus para sua salvação". Uma resposta divina a essa sua objeção seria "ou não me é lícito fazer o que quiser do que é meu?" (Mt 20:15) ou então "compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia" (Rm 9:15).

O quarto erro não admitir a incapacidade humana. Você duvida da "incompetência do homem para escolher, por si mesmo, o seu caminho e optar por viver com Cristo", mas a Bíblia diz que "ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer" (Jo 6:44). Desconsiderar declarações bíblicas é mais um erro de seu "plano alternativo".

O quinto erro é você fazer o plano de Deus depender da ordem que você estabeleceu. Você diz "que a ordem dos acontecimentos tem que ser da forma que coloquei". Não acha que é demais um mortal querer estabelecer a ordem em que os eventos salvíficos de Deus ocorrem? Ainda mais quando uma ordem já está revelada na Bíblia? Deus elegeu soberana e graciosamente na eternidade, Jesus proveu todos os meios necessários no Calvário e o Espírito Santo aplica a salvação eficazmente no tempo que Deus determinou para cada eleito: "E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou" (Rm 8:30). A eleição precede o ato de crer: " creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna" (At 13:48).

Resumindo, o seu plano erra por ser antibíblico, por esperar justiça onde há graça, por desconsiderar os efeitos do pecado na natureza do homem, por presumir que Deus tenha que dar explicações e por arrogar-se capaz de propor uma alternativa ao que Deus faz. De resto, é um bom plano.

Renê disse...

Clóvis,

A Paz do Senhor;

Primeiramente o que postei foi só um esboço do plano de salvação de Deus pro homem, de acordo com meu modo de crer e escrevi do meu jeito. Ele não é meu plano e é sim bíblico, estou postando de novo de outra forma pra ficar mais claro.

Quanto as questões sobre: eleição e predestinação, justificação de Deus, incapacidade do homem e ordem estabelecida por Deus eu gostaria de deixar de lado agora e gostaria que você me respondesse a pergunta: Dentro do plano de salvação do homem, o que justificaria a eleição incondicional do homem por Deus para sua salvação. Consegue me responder?



O Plano de Salvação do homem

Deus ao criar o ser humano o fez perfeito e completo. Coroa de Sua criação. Imagem e semelhança Sua. E, desta forma, Sua obra não estaria completa acaso o ser humano fosse incapaz de tomar decisões por si próprio, de executar as ações decorrentes destas decisões, bem como de entender as conseqüências de seus atos. Neste contexto disse Deus ao homem:

"... De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (Gênesis 2:16-17 ACF)

Mas, a serpente disse:

"... Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal" (Gênesis 3:4-5 ACF)

E preferiu o ser humano crer na serpente a crer em Deus, foi o ser humano expulso do paraíso e fez-se separação entre Deus e os homens:

"Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça" (Isaías 59:2 ACF)

E o pecado e todo o mal entraram para a natureza humana e isto lhe causou, por condenação divina, a morte. Mas, apesar do pecado e da maldade e da escuridão do coração humano, Deus em Sua infinita misericórdia nos amou a ponto de, mesmo estando nós mortos em nossos pecados, providenciar o meio para que pudéssemos nos salvar da condenação eterna causada por nossos pecados. E esta salvação exige que nós venhamos a nascer novamente:

"Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" (João 3:3 ACF)

Mas, que tipo de nascimento é este?

"... Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus" (João 3:5 ACF)

E de que forma podemos passar por este novo nascimento e ter acesso ao reino dos céus?

1º passo: Você deve se reconhecer como um pecador. Para Deus nenhum pecado é admitido, pois qualquer pecado condena por todos os pecados:

"Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos" (Tiago 2:10 ACF)

Não há qualquer pessoa no mundo que não tenha pecados:
continua...

Renê disse...

"Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus... Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Romanos 3:10-11,23 ACF)

2º passo: Deus pede que você se arrependa de seus pecados:

"... se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis" (Lucas 13:5 ACF)
Mas:

"Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito" (Salmo 34:18 ACF)

3º passo: Creia que Deus enviou Seu filho unigênito para cumprir a pena que seria sua!

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores" (Romanos 5:8 ACF)

Creia profundamente no amor de Deus. Creia completamente no amor de Jesus Cristo, que veio e pagou com Sua vida na cruz para que você hoje possa ficar livre da condenação eterna e receber graciosamente a vida eterna! E para isto basta crer:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16 ACF)

Deus amou o mundo, e em especial a você, de uma tal maneira, qual seja, completamente, sem restrições, com um amor infinito, em tal proporção que deu seu filho unigênito para que morresse na cruz, para que todo aquele que nele crê, com um coração arrependido e quebrantado, não pereça, mas tenha a vida eterna! Que promessa maravilhosa! Que amor maravilhoso Deus tem por nós!

4º passo: Receba a Cristo como Senhor de sua vida e faça parte AGORA da família de Deus:

"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome" (João 1:12 ACF)

E não é necessário fazer nada para receber tão grandioso presente. Basta que você se arrependa dos seus pecados e creia no sacrifício que Jesus fez por você. É isto mesmo, nada do que você tenha feito ou que possa vir a fazer tem qualquer valor para Deus no que concerne à remissão de seus pecados:

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9 ACF)

Coloque neste momento sua fé no único que pode te salvar:

"E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4:12 ACF)

Entregue o seu caminho ao Senhor Jesus, tranqüilize seu coração e viva uma vida de alegria mesmo nos momentos mais difíceis, encontre enfim a paz que você sempre procurou, atenda AGORA ao chamado de Jesus:
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" (Mateus 11:28-30 ACF)

Em Cristo

Renê

Ednaldo disse...

Só há uma coisa errada com o "novo" evangelho do Renê, segundo Paulo, ele é anátema.

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.