Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

11 janeiro 2010

Pastor das Assembleias de Deus explica a predestinação




O vídeo acima é uma tentativa do pastor Paulo Kamisaki, da Igreja Assembléia de Deus Peniel de Toronto, Canadá, de explicar a doutrina da predestinação e mostra como a pergunta é espinhosa. E ilustra bem como a rejeição do ensino direto das Escrituras sobre este tema leva a declarações confusas, contraditórias e anti-bíblicas.

O pastor Paulo admite que "é evidente que existe predestinação, a Bíblia fala de predestinação". Porém, como ele não concorda com a doutrina, tenta arrumar saídas para o fato a ele desagradável de que Deus predestina os seus para o céu desde a eternidade. Entre outras afirmações do pastor, selecionei dez sobre predestinação:

1) Predestinação não quer dizer um destino já traçado e que é imutável...

2) Deus predestinou tanto Israel como a Igreja para uma eternidade de glória na presença dele...

3) Muitas pessoas entendem que a predestinação vem desde quando o homem nasce...

4) Uma pessoa que está com a natureza pecaminosa, destituída da glória de Deus, afastada de Deus por causa do pecado, não está de forma alguma predestinada para a salvação...

5) Quando uma pessoa aceita a Jesus passa a ser predestinada ao céu...

6) Deus predestinou aos anjos caídos e aos homens que estão separados de Deus pelo pecado ao inferno, à condenação eterna...

7) Todos aqueles que aceitaram Jesus Deus predestinou que fossem herdeiros do céu...

8) Esses dias eu ouvi alguém dizer "essa pessoa aceitou Jesus e estava predestinada à salvação". Eu não concordo com essa doutrina, porque ela passou a ser predestinada a partir daquele momento que aceitou a Jesus, mas até então ela estava predestinada ao inferno...

9) A predestinação é algo que existe sim, mas não quer dizer que é algo imutável...

10) Uma pessoa que hoje está servido ao Senhor está predestinada ao céu, mas se ele se desviar dos caminhos do Senhor seu destino vai mudar...

O conceito de predestinação é simples, apesar do peso teológico da doutrina. Num sentido comum, predestinar é simplesmente "destinar de antemão". Nas vezes que ocorre na Bíblia é tradução do termo proorizo, que por sua vez é composto de duas partes pro ("antes") e horizo ("determianr, ordenar"), portanto o significado é "predestinar ou preordenar de antemão". Biblicamente predestinação refere-se ao decreto eterno, soberano, imutável e infalível de Deus conduzir os seus eleitos à glória. Portanto, a predestinação, em seu sentido bíblico, significa que antes da fundação do mundo Deus destinou que seus eleitos seriam conduzidos à fé e preservados fiéis até a volta de Cristo, período em que seriam progressivamente transformados na imagem dEle.

Segundo Paulo, aos que Deus conheceu de antemão "também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho" (Rm 8:29), o que se completará com certeza na volta de Cristo, pois "quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos" (1Jo 3:2). Este propósito divino faz parte de um decreto, pois os "que predestinou a estes também chamou" (Rm 8:30), foram "chamados segundo o seu propósito" (Rm 8:28). Ao contrário do que diz o pastor, uma pessoa não passa a ser predestinada quando "aceita a Cristo" (é chamada), mas "aos que predestinou a estes também chamou" (Rm 8:30), ordem que está de pleno acordo com At 13:48:  "creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna".

Não cabe também, no ensino bíblico sobre a predestinação, afirmar que a mesma possa ser mudada. Por ser um decreto de Deus, que é infinitamente sábio e poderoso, isto é simplesmente impossível. E a passagem de Romanos não dá brecha alguma para essa possibilidade, pois todos os predestinados são chamados, justificados e glorificados, sendo que desde "agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Rm 8:1) pois "é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados" (Rm 8:17).

Soli Deo Gloria

13 comentários:

Clóvis disse...

Prezados irmãos,

Quero me desculpar antecipadamente, pois devido a emergências no trabalho, não poderei acompanhar os debates desta semana como gostaria. Mas confio que serão proveitosos e sempre que der darei uma espiadinha.

Em Cristo,

Clóvis

Neto disse...

Clovis,

Simples, direto e biblico.
Parabens.

Neto disse...

Não me admira que ele não crê em Eleição.

Ele crê que o homem tem o poder de conquistar sua Salvação:
"então, é preciso ter obediencia a Deus para podermos alcançarmos [sic] a Salvação" (5:10 ao 5:20)

Depois dessa, (tirando toda a 'lição' bíblica) ele não pode falar mais nada...
E ainda é pastor?
Misericórdia...

zwinglio rodrigues disse...

É lamentável ter que ouvir, por 6 minutos e 27 segundos, tantas palavras truncadas...
.
Agora, pior ainda, é encontrar quem perca tempo para refutar tais palavras... seria o caso de apenas ridicularizar um "simplório" arminianista?
.
Clóvis, meu irmão, o nível geral de suas postagens não merece uma como essa.... rsrsrs
.
Abraços arminianos!

Paulo Sardinha. disse...

Estou sem palavras,como é que tem gente que ainda diz sobre "pré-destinação" dessa forma(a palavra "pré-destinação" está escrito diferente de propósito); para esse pastor bastava olhar o Aurélio (OU NÃO) para não falar essas coisas.
Ótimo post de novo Clóvis...

Paz,

Paulo

Saulo R. do Amaral disse...

A tática é simples: haja como Humpty Dumpty. "– Quando eu uso uma palavra, – Humpty Dumpty disse com certo desprezo – ela significa o que eu quiser que ela signifique... Nem mais nem menos".

Esse rapaz aí, como diz o ditado, está mais perdido do que bala em boca de banguela. Não sabe o que diz.

É o cúmulo da distorção! O cara usa textos que falam claramente da predestinação para falar sobre livre arbítrio!

Anonymous disse...

estando ao seu pleno alcance resgatar antes a todos, se preocupou em mostrar soberania A TODOS e amor AO MÍNIMO DO MÍNIMO possível, e para se mostrar soberano escolheu poucos, ao invés de muitos, pois salvar muitos poderia revelar um sinal de fraqueza de Deus. Escolhendo poucos ele pareceria ser mais soberano. Ainda que a qualificação melhor para isso seria tirano.

Se dissermos a quem quer que seja que foi plano de Deus encerrar a todos debaixo do pecado para “graciosamente” não libertar a todos: Encerrar a todos debaixo do pecado para distribuir graça ao mínimo.

Mostre isso a uma criança e ela dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um menino e ele dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um adolescente e ele dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um adulto e ele dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um velho e ele dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um bêbado e ele dirá: Deus é mau.
Mostre isso a um débil e ele dirá: Deus é mau.

Não quem não considere isso uma maldade. Uma má nova.

Esse pensamento é humano?

Então, Deus deveria ser Deus de outros seres, pois é impossível ao racional não perceber algo errado nessa equação que é, em geral, atribuída aos calvinistas.

Mas, há aqueles versos que falam de eleição e escolha... Há sim, basta lê-los, juntamente com os outros que
continua

Anonymous disse...

Achei na net e gostaria de compartilhar

Penso que não há como ver o “evangelho” da predestinação como “boa nova”, é na verdade uma “má nova”. A “má nova de perdição”, pois no estado natural da criação todos estariam salvos; ao permitir, ou mesmo planejar já que é “predestinacionisticamente” soberano, a entrada do pecado no mundo, Deus privou à descendência do homem um estado eterno de comunhão para criar uma legião de perdidos, ou seja, Deus saiu da perfeição para “criar”, já que a “soberania” é dELE, um mar de condenados. A salvação é uma “boa nova” infinitamente menor que a “má nova de perdição”. Um pingo no oceano.

A Bíblia diz que Deus é bom e que é amor, mas, para mostrar a soberania de Deus, os predestinacionistas apresentam (há várias variantes de predestinacionistas, bem como a linha contrária) um Deus que, em não existindo nada no Universo, teria resolvido criar o mundo e o homem; colocar no plano de existência dele o pecado, e depois de planejar a superpopulação da terra, preferiu, para se revelar soberano, deixar, no inferno, das portas para dentro, um sem número de indivíduos que ele resolveu não escolher, ou seja, a culpa do inferno para a humanidade não é nem do diabo, nem do homem, é de Deus, o único planejador eficaz que poderia mudar essa história, mas preferiu não fazê-lo. A culpa da superpopulação do inferno passa a ser de Deus que em primeira, e, também em última instância é quem tem a capacidade de mudar esse fato.

Diga a quem quer que seja que o plano de Deus, foi criar o homem, colocar no script o pecado, encher a terra de pecadores e preparar o inferno para, juntamente com o capeta, fazer um coral de gritos e prantos lá, e, que
continua

Anonymous disse...

falam do alcance global da salvação “...onde o pecado abundou, superabundou a graça;”: “expiação limitada” não cola com esse verso.

Há coisas que o homem faz que nunca passou pelo coração de Deus. Jr. 32.35 “E edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazerem passar seus filhos e suas filhas pelo fogo a Moloque; o que nunca lhes ordenei, nem veio ao meu coração, que fizessem tal abominação, para fazerem pecar a Judá.” Ora, se fazer passar pessoas pelo fogo não subiu ao coração de Deus, como privaria ele as pessoas de escolherem não morar no tormento eterno.

Esli Soares disse...

Que negocio ruim é esse... eu já havia visto algo similar. O cara não sabe quase nada, e aí de improviso ele tenta justificar a "torcegese" bíblica em que ele crê (leia-se arminianismo). Mas, eu tenho que concordar que esse crente tipo A (arminiano), é fraquim, fraquim. Creio que se ele seguir algumas orientações a coisa melhora.
1 - Estudar mais a língua portuguesa para falar sobre o português com mais propriedade.
2 - Antes de responder sobre determinado um assunto, estudá-lo. Há tanta confusão de termos teológico e que quase todas as suas afirmações estão fundamentalmente erradas, acho que de tudo que falou, só acertou nas declarações: 6) Deus predestinou aos anjos caídos e aos homens que estão separados de Deus pelo pecado ao inferno, à condenação eterna... e 7) Todos aqueles que aceitaram Jesus Deus predestinou que fossem herdeiros do céu...
3 - estude as línguas originais. Conclusões teológicas são prioritariamente feitas nos originais, levando em conta a análise histórico-gramatical dos termos, exegese e hermenêutica, e obviamente a lógica. É assim que o Espírito fala através das Escrituras, e não com revelações dispares do texto e nem com iluminações irracionais –- Deus me revelou que embora a palavra predestinação signifique destino prévio, Ele (Deus) não quis colocá-la aí no texto (Bíblia) com esse sentido -- afinal se Deus deixou escrito é por que podemos ler e entender a Verdade a partir dessa leitura, se não fosse possível a Bíblia não tinha razão de ser.
4 - escrever um texto com seus comentário o fará ter uma linha de raciocínio, isso evita que ele se torne repetitivo, especulativo e contraditório, e provavelmente deixará de ser arminiano (Risos).
5 – grave e edite os vídeo, pois mesmo você engasgando e tendo dificuldades de falar de um assunto que você não entende, será possível passar segurança ao seus ouvintes. Da forma como você fez, caro pr. Paulo, você deu um tiro no pé.

Esli Soares disse...

Caro amigo (anônimo... achei na net e gostaria de compartilhar) e signatários desse pensamento...
Tenho que concordar com a força de seus argumentos, mas espere... entretanto as conclusões tiradas a partir dele são tão incongruentes como as tresloucadas afirmações do pr. Paulo Kamisaki (o sobrenome num ta errado?! Num seria Kamikasi, rsrsrsrs). Vou tentar ser sintético e expor o entendimento que contraria essas idéias que você pegou o internet.
Deus é Criador - Deus o soberano criou o ser humano perfeito, isso é um fato bíblico claro, fomos criados a imagem e semelhança dele.
Mas isso trás um problema verificável hoje, não somos bons e perfeitos como Deus, de quem fomos feitos a imagem e semelhança. Entre a Criação do homem e 2010 d.c alguma coisa aconteceu. Já em Gn 3, somos informados que Adão e Eva, pecaram e lançaram toda a sua posteridade (inclusive eu e você)no pecado.

Mas isso só responde parcialmente o problema. Somo como somos agora (2010) por que o Adão e Eva pecaram, e por causa disso, fomos expulsos do Paraíso. Mas por que nossos primeiros pais pecaram?

A primeira resposta é obvia. Por que havia a possibilidade do Pecado. Antes, entretanto, é preciso entender o que é pecado. Pecado é desobedecer a Deus. Para que houvesse pecado teria que haver uma lei que pudesse ser desobedecida. A lei foi posta por Deus (isso é incontestável - Gn 2;16) e, também, a possibilidade de pecar (leia o verso 9). Essa lei foi clara, taxativa e positiva, vocês podem comer de tudo, só não daquela arvore (bem e do mal), por que se comer... é morte certa. Enquanto o homem obedecesse essa lei, ele viveria.

Mas ainda não é tudo... por que Deus colocou a arvore lá? Qual era a razão disso? Se Ele não tivesse nos dado a chance de erra, nós nunca teríamos errado. Mas aí, meu querido, nós também nunca seriamos a imagem e semelhança de Deus. A resposta do porquê está aí. Deus no seu sábio e santo conselho resolveu, por livre vontade, nós criar assim, com a capacidade de obedecermos ou não a Deus. E mais, de realmente nos dar a chance de desobedecer. Isso é o plano Dele! Ele assim quis.

Talvez, o que seja mais complicado de entendermos, não é a vontade soberana de Deus, mas como um ser humano, inteligente e capaz, com um relacionamento perfeito com Deus, vivendo num paraíso, pode querer desobedecer?! Isso é que é estranho... a Bíblia diz que Eva olhou para o fruto e viu que era bom e bonito e desejou aquele fruto, preferindo confiar na sua capacidade de julgar do que na Palavra de Deus.

As conseqüência dessa decisão humana, é o que nos coloca aqui e agora. Deus nos criou com o livre-arbítrio, sim, mas nós jogamos fora, livremente optando por pecar, morremos e isso nos distanciou de Deus, que é santo e não pode contemplar o pecado (Hc 1,13), e perdemos a capacidade de fazer o que erra certo (Tg 1;17), fomos marcados com o Pecado (original), nos tornamos inimigos de Deus (Rm 3;10).

Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores (Rm 5;8). E Cristo foi morto antes da fundação do mundo (Ap 13;8).

O seja... Deus resolveu nos criar, isso implica que pecaríamos e Deus resolveu através do sacrifício de Jesus nos salvar.

Por ora leia, tente entende e digerir isso, depois falamos do por que Deus salva uns e não todos.


sem mais...
Graça e paz.

Anonymous disse...

DAVID GABRIEL

Bem meu amigo !Se vc é um calvinista e não concorda com o ponto de vista arminiano isso é com vc e Deus !Agora ficar falando mal de um ungido de Deus pq ele não diz oque vc quer ouvir ae a coisa fica feia pra o seu lado !Cuidado quando falar de um ungido de Deus e tente amar ao proximo como a si mesmo que isso é uma evidencia do seu amor para com Cristo !
Deus te abençoe e te de sabedoria e discernimento!

Clóvis disse...

Davi Gabriel,

Obrigado por aparecer e comentar.

Pelo que eu entendi,ter um ponto de vista equivocado sobre a doutrina bíblica não é problema, a coisa começa a ficar feia quando falamos mal de um "ungido de Deus"? Interessante este ponto de vista.

Porém, se me permite, gostaria de fazer duas considerações. Uma, não falei mal do pastor Paulo Kamisaki, apenas mostrei como é embaraçoso tentar argumentar contra um ensino da Palavra de Deus. Afirmar que a Bíblia diz uma coisa e tentar explicar que a coisa não é bem assim como ela diz, não é uma tarefa fácil. Além disso, adicionei o Pr. Paulo como meu amigo no Facebook e informei-o do texto aqui publicado, caso ele quisesse se manifestar. Não o fez.

Dois, biblicamente falando, ungido de Deus não são apenas pastores. Aliás, a ordenação neotestamentária ao ministério pastoral é feito pela imposição de mãos e não pelo derramar de óleo sobre a cabeça. E ungido de Deus é todo crente em Jesus Cristo, e não uma classe dentre eles. Fica claro então que minha visão do que seja ungido de Deus é mais ampla do que a sua e alguém me ameaçar que a coisa vai ficar feia para meu lado é tão, ou mais, tocar no ungido de Deus quanto denunciar o erro teológico de um pastor.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.