Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

20 março 2010

O poder do testemunho pessoal


Mais ou menos cem anos atrás havia um crente na Inglaterra de nome Harvey Page. Seus olhos foram abertos pela especial graça do Senhor para ver que, embora ele fosse uma pessoa muito simples não tendo nenhum dom manifesto e incapaz de fazer muitas coisas ele podia contudo tratar com a pessoas uma por uma. Embora muitos cristãos tenham sido abençoa dos fazendo grandes obras, não era o seu caso. Mas ele podia concentrar sua atenção em uma pessoa e acompanhar tenazmente essa pessoa. Dizia então ao amigo escolhido que desde que ele, Harvey Page, estava salvo, o seu amigo poderia ser salvo também. Passava a orar e falar com o amigo até que este fosse realmente salvo. Na época em que harvey Page partia deste mundo, ele havia dessa forma levado mais de uma centena de. pessoas para o Senhor.

Watchman Nee
In: Testemunho cristão normal

6 comentários:

Luciano disse...

Aqui um cristão que admiro. W. Nee. Eu brinco amigos que tenho uma trihumanidade santa ( Packer, Hernandes e Ronaldo Lidorio )gsoto muito deles, mas não teve livro que mais me causou impacto quanto A Vida Cristã Normal de W. Nee que um pastor me deu. Eu não concordo com muitas posições de Nee, mas esse livro simplesmente é o meu preferido. Não trocaria ele por nenhum outro. ( sei que como reformado alguns levantarão as sombranselhas, mas é algo pessoal. Eu sei que teologos reformados são melhores, mas o caso é esse livro especifico )Fiquei emocionado depois saber sua fidelidade diante do comunismo chines.
Ver um texto dele aqui é um sinal que ele tem credibilidade reconhecida.Não conhecia o livro citado acima.

Ricardo Mamedes disse...

Clóvis,

Um livrinho bem interessante do Watchman Nee é "obsessão espiritual", onde ele discorre com maestria sobre o exercício um tanto estranho dos dons, especialmente dos "profetas contemporâneos". Embora vivendo em outra época o autor se mostra atual, comprovando que ontem, como hoje, já haviam os "profetas adivinhadores" pululando pelas igrejas, nomeados por ele como obcecados espirituais.

Em Cristo,

Ricardo

Clóvis disse...

Luciano,

Eu considero o W. Nee paradoxal. Tem algumas idéias dele que é difícil de engulir, mas por outro lado o testemunho pessoal e muito do que escreveu tem uma valor prático muito grande.

Ele não é considerado reformado, mas defende ensina a predestinação para a salvação de forma competente.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Ricardo,

Ainda não tive a oportunidade de ler esse libro de W. Nee. Anotei a dica.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Fiz menção acima da defesa de Nee da predestinação. Ele diz:

"Todos os que Deus conheceu de antemão foram predestinados. Todos os predestinados foram chamados. Todos os chamados foram justificados. Todos os justificados entrarão na glória. Aleluia! Pode Deus conhecer de antemão uma centena, mas predestinar apenas noventa, chamar apenas oitenta, justificar cinqüenta e introduzir apenas dez na glória? Deus não pode mudar. É impossível predestinar muitos e chamar poucos. Por favor, lembrem-se que as palavras "aos que" nesses versículos transmitem este significado: "Aos que" Ele de antemão conheceu, a "estes" também predestinou; "aos que" predestinou, a "estes" Ele também chamou; "aos que" Ele chamou, a "estes" também justificou; "aos que" Ele justificou, a "estes" também glorificou. Esses "aos que" unem os cinco elos. Na língua original, a palavra "estes" significa "estas pessoas". Assim, aos que Ele de antemão conheceu, a "estas pessoas" Ele também predestinou. Aos que predestinou, a "estas pessoas" Ele também chamou. Aos que chamou, a "estas pessoas" Ele também justificou. Aos que justificou, a "estas pessoas" Ele também glorificou. Não podemos ignorar nem um só item. São todos obras de Deus. Se fossem nossas obras, poderíamos salvar alguns por engano, porque não saberíamos quais deveriam ser salvos. Mas se são obras de Deus, não pode haver erro. Se não conhecemos Deus e Suas obras, ainda podemos pensar que há a possibilidade de alguém se perder. Mas se conhecermos Deus e Suas obras, perceberemos que ninguém pode ser subtraído ou acrescentado."

O artigo completo pode ser lido em "Deus planejou salvar-nos". Leiam, vale a pena.

Em Cristo,

Clóvis

Luciano disse...

W. Nee foi privelegiado com uma mente aguçada em um contexto dificil e atrazado.Eu só me preocupo em saber se aquelas são mesmo suas palavras...o herege W. LEE queimou muito o filme de W NEE.
Mas eu acho que Nee é digno de respeito de todos cristãos. Com seus erros e acertos mostrou o que é amar o Senhor.
A Vida Cristã Normal ( e 'Cristo a essencia de tudo que é espiritual', deixa marcas profundas em quem lê.)Mas o primeiro, é as Institutas de Nee (rsrsr) pelo menos pra mim.

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.