Já tem uma conta?

Translate this blog

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons nas seguintes condições: você pode copiar, distribuir e utilizar livremente, desde que cite a autoria com link para o artigo neste blog, não o utilize com finalidade comercial e não faça modificações no conteúdo.

05 abril 2010

Por que não sou pedobatista? - 1

Por que não advogo o batismo infantil, bastante comum em meios reformados? Positivamente, porque creio que o ensino e os exemplos bíblicos implicam o batismo de crentes, conforme demonstrei no artigo "Por que sou credobatista?". Negativamente, porque depois de analisar os argumentos em favor do batismo infantil concluo que são inconsistentes e incapazes de demonstrar que a prática da igreja apostólica era a de batizar recém-nascidos, e que trazem mais prolemas que respostas. No que segue, procuramos analisar os argumentos mais comuns.


Diferentes pedobatismos


O batismo é o primeiro das duas ordenanças ou sacramentos revelados no Novo Testamento. É um ritual comandado por Deus e consiste de um sinal visível da graça de Deus, acompanhado de promessa divina. Há diferenças entre batismo de adultos e batismo de crianças, e diferenças próprias nas concepções dos que adotam este último. Para os católicos romanos e a igreja ortodoxa, o batismo oferece as funções normais ou meios ordenados para a regeneração. Tanto para luteranos como para reformados, o batismo é visto como sinal ou selo do pacto da graça, mas os luteranos afirmam que as crianças não participam da aliança até que sejam batizadas, já os reformados crêem que a aliança precede o batismo. Os metodistas ensinam que todas as crianças foram redimidas por Cristo, e portanto estão aptas ao batismo, apesar de John Wesley não hesitar em rebatizar os que não haviam sido batizados na Igreja da Inglaterra.


Nota: considerando o tamanho do artigo, publicarei em partes, nesta semana.

20 comentários:

Neto disse...

Até o momento, estou assinando em baixo!

Os irmãos "mais reformados" do que eu me perdoem, mas assim que fui salvo, em 2008, e comecei a pesquisar mais sobre igrejas, estranhei o fato de existirem igrejas reformadas que batizam crianças!
Alguém pergunta: "Mas porque?"
Minha resposta é a mesma do Clóvis, sem tirar nem por: "depois de analisar os argumentos em favor do batismo infantil concluo que são inconsistentes e incapazes de demonstrar que a prática da igreja apostólica era a de batizar recém-nascidos".

Deus abençoe a todos.

Clóvis, parabens!

Esli Soares disse...

Neto,

Por esse argumento não não chegaremos a lugar nenhum, como mostrou os argumentos do Helder, acho que tudo deve ser analisado pelo que cremos ser o batismo. Daí deve-se fazer conforme o que cremos.

Eu creio que sou do povo de Deus, meu filho por conseqüência é parte do povo de Deus. Se o batismo, sengundo eu creio, é a marca daquele que são povo de Deus, então que motivo eu teria para não batisar meu filho?

Esli Soares

Neto disse...

Amado Esli,

Ainda é cedo para falar algo. Vamos aguardar o término da série do "Amado Batista" (Clóvis).

Pois eu creio que o Clóvis postará sobre esse assunto que o irmão levantou tambem.

Deus abençoe.
(quanto tempo que não falamos, não?)

Esli Soares disse...

Neto,

É cedo mais tu falou...

Vamos ver mesmo o resto das postagens... mas veja bem foi vc que já saiu alfinetando (rsrsrs), segundo vc a história não mostra que a Igreja batisava crianças, mas ela também não mostra que não se batisava.

No artigo Credobatista, o Helder maestralmente deixou claro que se pode pensar em família incluindo filhos, a mulher, etc. O Clóvis até disse algo sobre incluir os escravo.

Volta a dizer por aí não avançaremos!

No mas em paz,
Esli Soares

p.s.: Por e-mail, e te fiz uma proposta vc que nunca mais falou comigo...

Luciano disse...

Os Batistas aproveitam de uma calúnia, na maioria dos casos. Quantas pessoas estão dizendo que o batismo infantil é invenção católica!
Pr Esli, com certeza já teve que clarear esse problema. Eu já tive que esclarecer isso. E quantas vezes notamos que a associação pedobatismo e romanismo, tiram pessoas das fileiras presbiterianas.
O 'Amado Batista' ( rsrsr ) mostra contra-argumentos, mas infelizmente não é esse o pressuposto. Muitos negam o batismo infantil pelo princípio da associação e a predominãncia batista/pentecostal tem contribuido para essa calúnia. Noto que pentecostais e batistas (a maioria tb desinformadas) gostam de deixar as pessoas acharem que o pedobatismo é do romanismo idólatra.
Mas tb sei que a teologia batista apresenta seus contra-argumentos de forma séria, como fez nosso amado irmão Clóvis, que lá no céu, junto a tantos outros vão ter que andaram errados não batizando seus filhos.
Em Cristo

Neto disse...

Amado Esli,

Perdão se pareceu que fui desonesto contigo (tipo "eu posso comentar, você não", ou algo do tipo), mas eu realmente afirmei, ou comentei, algo que já estava no post inicial do "Amado Batista". No caso, a "inconsistencia e incapacidade" dos argumentos. Ele afirmou isso numa visão geral, mas ainda não abordou cada um deles especificamente.

Isso ele disse inicialmente, coisa que eu concordei. Aí, você trouxe à tona o assunto especifico "filiação", assunto que ainda o Clóvis não abordou... Por isso eu disse "calma..." rs. Espero que tenha ficado mais claro.

Peço perdão pelo e-mail, o enviarei ainda hoje, se Deus quiser.

Deus abençoe a todos.

Esli Soares disse...

Neto,

Eu só estava zoando...

Mas eu volto a afirmar que pelo argumento histórico nada será conclusivo.
Se bem que eu não creio que seremos conclusivos no assunto batismo... hehehe

Esli Soares.

P.s.: Esperando o e-mail.

Heitor Alves disse...

Clóvis,

Achei que vc tinha se esquecido deste assunto! rsrs. A nível de introdução, não tenho como discordar. Vamos ver os próximos posts, né??

Neto,

Já começou alfinetando!! rsrsrs. O Esli tem razão quando diz que tudo deve ser analisado pelo que cremos ser o batismo. Se formos procurar na Bíblia algum registro do pedobatismo, iremos perder tempo.

É a busca da definição do pedobatismo que vai determinar se as crianças pequenas devem fazer parte ou não, e não a busca por algum registro histórico! Só lembrando que os registros históricos (registros ausentes ou não) não servem para compôr uma doutrina.

Clóvis disse...

Neto,

Espero que continue assinando, e ampliando as argumentações que serão apresentadas.

Contudo, não nutra muitas expectativas. O texto não é lá aquelas coisas. Mas serve como ponto de partida.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Esli,

Não pretendo levar ou chegar a algum lugar específico sobre esta questão. São minhas razões pessoais, abertas ao debate.

Quando ao argumento histórico, acho que demonstrarei que se inclina para os credobatistas. Mas como você disse, ele não é conclusivo.

Em Cristo,

Clóvis

Clóvis disse...

Luciano,

"Os Batistas aproveitam de uma calúnia, na maioria dos casos. Quantas pessoas estão dizendo que o batismo infantil é invenção católica!"

Minha intenção não é caluniar, tanto que de início procuro estabelecer a diferença entre o pedobatismo romanista e o batismo infantil praticado por cristãos evangélicos. Porém, o fato é que o batismo infantil veio na esteiras dos erros romanistas com relação a eclesiologia em geral e dos sacramentos em especial.

"Mas tb sei que a teologia batista apresenta seus contra-argumentos de forma séria, como fez nosso amado irmão Clóvis, que lá no céu, junto a tantos outros vão ter que andaram errados não batizando seus filhos."

Bom, espero merecer a consideração de que argumentei de forma séria, e convencê-lo, antes de chegar no céu, a esperar seus filhos fazer confissão de fé para batizá-los.

Em Cristo,

Clóvis

PS.: Brincadeiras à parte, de forma alguma pretendo tratar com leviandade a convicção de meus irmãos presbiterianos.

Clóvis disse...

Heitor,

"Se formos procurar na Bíblia algum registro do pedobatismo, iremos perder tempo."

Neste ponto batistas e pedos estão de pleno acordo. Outro ponto que acho que concordamosé que todos os batismos registrados na Bíblia era de crentes. Acho que isso conta algum pontinho para os credobatistas, não?

Quanto a validade do precedente histórico, é uma questão a ser aprofundada. Será que os relatos históricos tinha finalidade meramente informativa?

De resto, conto com a sua contribuição para o tema, para revermos ou fortalecermos nossas convicções.

Em Cristo,

Clóvis

Luciano disse...

Heitor, o que estou esperando dos irmãos batistas, e só uso esse argumento por que os batistas ( vc é?) acham que tal argumento é decisivo. É o seguinte: Onde tem crentes na bíblia que nasceram em lar cristão e só foram batizados na idade adulta??? Estou cansando de procurar também !

Luciano disse...

Irmão Clóvis, desde a primeira vez que vi seu blog notei sua seriedade e fidelidade. Classifiquei sim vc entre os sérios que assim pensam. Fico feliz em poder conhecer esse blog.
Deus o abeçoe.
Mas você está errado, lamento em dizer, porém feliz, visto que estou certo. Acho que Abraão vai ter que puxar a orelha de muitos de seus 'filhos' que não seguiram seu exemplo!
Brincadeiras a parte, os irmãos batistas são nossa herança!

Luciano disse...

Uma pergunta: Os valdenses, batizavam crianças?

Heitor Alves disse...

Clóvis,

De fato, o batismo era para os crentes. Mas será que os filhos de pais crentes não são crentes? Os filhos não são santos porque um dos pais o é?

Os relatos históricos tinham finalidade meramente informativa: informavam o que a igreja cria. A ausência de algum precedente histórico, ausência de exemplos pedobatistas, por exemplo, não finaliza a questão. Porém, é claro que há um pressuposto teológico por trás de todo relato histórico. Mas a questão é: a definição teológica do batismo determinará se os filhos serão ou não batizados.

Mas espero que os nossos próximos contatos aqui no blog sejam mais para edificação.

Luciano,

Não sou batista.

Esli Soares disse...

Clovis...

Eu adorei a piada, mas o bom que ter direito ao símbolo não o obriga a te-lo (o símbolo) de fato... então os seus filhos, mesmo tendo o direito do símbolo, podem por escolha deles ou sua, não usá-lo por enquanto. Isso não implicará em perderem o que é simbolizado...rsrsrsrs

Sobre os relatos históricos, não dá para dar nem meio ponto, pois a questão é como devemos definir o termo casa. Se for todos, como vc disse, até os escravos eram batizados. O que corrobora muito mais para o pedobatismo, e mas teremos (ou teriamos), também, o conjugebatismo e o empregadobatismo. Assim é melhor deixar o argumento historico de lado. (rsrsrs)

Por fim, lamento a idéia de calunia proposta, embora seja verdade em algum nível, claramente não é o seu caso. Sei que vc não está interessado em prosilitismo e que hoje, graças a Deus, essas questões já são tratadas como secundárias, basta ver que o batismo da IPB,em geral, é aceito.

Na paz, naquele em que somos batizados, quer seja simbolizado quando criança, quer seja somente quando adulto.

Esli Soares

p.s.: embora seja possível um acordo tácito, vigente hoje na maioria das igreja, creio que pela razões já expostas o pedobatismo é a maneira certa de se proceder com os filhos dos crentes.

Rev Carlos Jr - Ministro Presbiteriano disse...

Calvino na conclusão do capítulo sobre batismo infantil nas Institutas da Religião Cristã diz:
“Eis aqui por que Satanás se esforça tanto em privar nossas criaturas dos benefícios do batismo; Sua finalidade é que se esquecermos de testificar que o Senhor tem ordenado para confirma-nos as graças que ele que nos conceder, pouco a pouco vamos nos esquecendo das promessas que nos fez a respeito disto. De onde não só nasceria uma ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus, mas também a negligencia de ensinarmos nossos filhos no temor do Senhor, e na disciplina da Lei e no conhecimento do Evangelho. Porque não é pequeno estimulo sabermos que educá-los na verdadeira piedade e obediência a Deus saber que desde seu nascimento foram recebidos no Senhor e em sue povo, fazendo-os membros de sua igreja.”

Rev Carlos Jr - Ministro Presbiteriano disse...

Calvino mostra a importância bíblica de aplicarmos o batismo infantil em obediência a vontade revelada de Deus, inclusive sobre pena de sermos punidos se desobedecermos a essa ordenança ou menosprezar esse sacramento. É bem dito por Calvino que aqueles que são batizados têm privilégios. Dentre os quais de serem parte do povo de Deus, quando se tornarem adultos tem ocasião de voltar-se para Deus em gratidão por terem sido aceito desde a mais tenra idade.Os cristãos e os israelitas participam dos benefícios do mesmo pacto. McGrath, comentando acerca da posição de Calvino sobre batismo infantil diz:
“Se as crianças cristãs não puderem ser batizadas, elas ficaram em desvantagem em relação às crianças judias, as quais eram pública e externamente seladas e introduzidas na comunidade da aliança através da circuncisão (Institutas da Religião Cristã, IV.xvi.6). Portanto, Calvino argumenta que as crianças deveriam ser batizadas, não lhes sendo negados os benefícios daí decorrentes.” E para as crianças o valor é descrito no livro IV, capítulo XVI, 9, das Institutas:
“O proveito que os filhos recebem é que a igreja reconhecem-nos como membros seus, os tem em maior estima. E eles, ao se tornarem maiores tem ocasião de voltar-se mais ao serviço de Deus, que se manifestou como Pai antes mesmo que tivessem entendimento para compreende-lo, recebendo-os no número dos seus desde o seio de sua mãe .”

Calvino entende que é grande desprezo deixarmos de batizar nossos filhos. “Mas se vemos que nossos filhos são batizados pela autoridade de Deus, guardemos-nos mui bem de fazermos uma injuria reprovando sua disposição”. Calvino também afirma que seremos castigados se menosprezarmos este sacramento. “... devemos sempre temer que se menosprezarmos selar nossos filhos com o sinal do pacto, o Senhor nos castigue por isso (Gn 17.14); por que ao fazê-lo assim renunciamos ao beneficio e a graça que nos oferece.”

Clóvis disse...

Rev. Carlos,

Seja bem vindo ao Cinco Solas.

O irmão citou Calvino:

“Eis aqui por que Satanás se esforça tanto em privar nossas criaturas dos benefícios do batismo..."

Estaria Calvino sugerindo que os batistas estão a serviço de Satanás? Hummm

"Sua finalidade é que se esquecermos de testificar que o Senhor tem ordenado para confirma-nos as graças que ele que nos conceder, pouco a pouco vamos nos esquecendo das promessas que nos fez a respeito disto. De onde não só nasceria uma ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus,"

Não creio que entre os credobatistas exista algo como "ímpia ingratidão para com a misericórdia de Deus".

"mas também a negligencia de ensinarmos nossos filhos no temor do Senhor, e na disciplina da Lei e no conhecimento do Evangelho. Porque não é pequeno estimulo sabermos que educá-los na verdadeira piedade e obediência a Deus saber que desde seu nascimento foram recebidos no Senhor e em sue povo, fazendo-os membros de sua igreja.”

Parece-me que os que praticam o batismo de crentes se sentem estimulados a criar seus filhos na disciplina e temor do Senhor, procurando levá-los à fé e então serem batizados.

Em Cristo,

Clóvis

Postar um comentário

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.